PTP quer prevenir o risco de incêndios no Funchal e apresenta medidas para este fim

O PTP realizou uma iniciativa esta tarde, na qual defendeu a criação de uma “área de corta fogo e a construção de tanques de armazenamento de águas pluviais em zonas de risco de incêndios”.

A candidata Raquel Coelho referiu que nas últimas décadas o Funchal foi alvo de uma “explosão urbanística”, com a “construção de habitações desde o mar até à serra em zonas inóspitas, no meio de florestas, junto ao leito das ribeiras e debaixo de encostas e escarpas”. “Não houve qualquer tipo de ordenamento do território por incúria e negligência do Governo e da Câmara Municipal”, acusou a candidata.

Raquel Coelho considera que na impossibilidade de se retirar as populações daqueles lugares, “urge minimizar os riscos e prevenir a ocorrência de incêndios” em zonas que considera propicias à deflagração de incêndios, como é o caso do “Galeão” na freguesia de São Roque.

Raquel Coelho assegura não apresentar propostas demagógicas, como é o caso do “Gabinete da Cidade promovido por Paulo Cafôfo”, uma vez que considera “impossível redesenhar a cidade do Funchal 50 anos após a explosão urbanística”.

Os trabalhistas entendem que a CMF deve em articulação com o Governo Regional proceder à “inventariação das zonas de risco”, como é do Galeão e das Babosas, e proceder “à construção de tanques de armazenamento de águas pluviais” nestes locais e de “uma zona de corta fogo”.