Por uma Madeira melhor

Este texto foi, na verdade, inspirado por um amigo, que ainda ontem partilhou nas redes sociais pensamentos limpos e bonitos sobre o actual momento eleitoral.

O que primeiro apetece dizer é que deveríamos ter eleições todos os dias. Na verdade, se assim fosse, seríamos presenteados constantemente com as melhorias que os senhores no poder ou a ele aspirando apenas se lembram quando querem ser eleitos ou reeleitos.

O real problema é que não raras vezes são apenas promessas para burro escutar. Depois tudo muda até ao próximo ciclo eleitoral. Ou seja, sem consequências positivas para o povo.

Na verdade, nós parecemos que adoramos ser enganados pelos políticos que temos, alguns deles abaixo dos níveis mínimos aceitáveis. Cuidado, nós pagamos impostos, coisa que muitas vezes se esquece.

Tenhamos presente que mais da metade da receita anual das câmaras provem do Imposto Municipal sobre Imóveis, nalguns casos à volta dos 60 por cento to total da receita camarária.

Mas vejamos a mensagem do meu amigo, porque vale mesmo a pena.

Sou fulano, sou madeirense e que fique bem claro que não sou candidato a coisa nenhuma, nem Junta de Freguesia, tampouco a qualquer Câmara Municipal. Sou apenas um mero cidadão.

Luto todos os dias por um mundo melhor, porque acredito que no fundo é possível tê-lo, e não as barbaridades que destapamos e que, por se tornarem tão repetitivas, quase já as consideramos normais. Tão perigoso!

Faço votos para que nesta campanha todos os candidatos de todas as facções se comportem de uma forma serena, sem ataques pessoais, lutando pelas crenças de uma forma honesta, embora empenhada e calorosa.

Sejam decentes e um exemplo para os vossos concidadãos. Na política tal como na vida não vale tudo. Quem pensa ao contrário não merece ser político ou candidato a tal.

O que realmente os madeirenses pretendem afincadamente são políticos que façam obra pelo povo e não para os bolsos de outrem.

É importante que sejam educados, respeitem as opiniões divergentes. Mas mais importante e fundamental ainda é que lutem convictamente por uma Madeira melhor.

Efectivamente nós não acreditamos que façam o Céu amanhã. Mas se forem capazes de colocar uma pedra nesse caminho, com sinceridade e de modo despretensioso, é um farol que alimentam e que incentivam outros a continuarem.

O que nós povo pretendemos é que não nos enganem mais, chega de vilanagem. Pensem e actuem como estadistas, coisa tão rara nos nossos dias.

Quem for capaz de alimentar este farol de tornar a Madeira melhor, mesmo com pequenas acções que normalmente passam despercebidas, mas que revelam uma alma maior e consequências práticas positivas, merece ter a opção do povo nestas eleições.

—-

Nota: obviamente que estamos conscientes da existência de políticos honestos e merecedores de confiança.