Câmara de Machico nega que animais estejam “subnutridos” e já tem projeto para um Centro de Recolha

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Ricardo Franco critica posição de Ricardo Sousa, do PSD, sobre o tratamento dos animais. E promete a construção de um Centro de Recolha Oficial. Já tem projeto e um terreno doado por um munícipe.

A Câmara Municipal de Machico esclarece que não dispõe de um canil municipal, mas sim de “um abrigo em que os animais são tratados, alimentados e acompanhados pela Vet Machico, Vet Funchal e a associação AMAW, com o objectivo sempre primordial de promover a adopção, conforme se pode constatar nos sites oficiais da Câmara. Todas as cadelas estão esterilizadas”.

Esta posição da autarquia surge na sequência de declarações do candidato do PSD, Ricardo Sousa, consideradas “falsas” pela Câmara, a propósito da forma como os animais são ali tratados dizendo que os animais estão “subnutridos” e que “o seu estado de saúde não é seguido por especialistas”.

Refere a Câmara que “o candidato laranja aponta uma reunião com a ANIMAD – uma entidade que nunca teve qualquer envolvimento neste processo”. Diz Ricardo Franco que a atual Câmara está a fazer o que não foi feito nos mandatos do PSD “em que nada foi feito pelos animais errantes do concelho – não se conhece qualquer verba inscrita em orçamento destinado aos animais durante os mandatos do PSD – que andavam pelas ruas aos magotes e que, pela informação que nos chegou, a única solução que a Câmara PSD tinha para muitos dos cães era uma viagem para a serra sem retorno!”

O autarca classifica de “repugnante” que estas acusações venham da parte de um candidato do PSD que,” demagogicamente, só agora teve um ataque repentino de interesse pelos animais errantes, quando nunca promoveu ou propôs qualquer medida sobre esta problemática, nem quando era presidente da Junta de Machico e sendo então o PSD poder na Câmara”.

A Câmara aponta números para justificar a aposta na defesa animal, nomeadamente ter “um funcionário a tempo inteiro adstrito ao abrigo e um grupo de voluntários que colaboram nesta área; Atingimos as 400 esterilizações de cães e gatos, na sequência do protocolo com a AMAW, desde 2013; Nas despesas médico-veterinárias mais alimentação investiu-se cerca de 50 mil euros; Na construção do abrigo com celas adequadas investiu-se 8 mil euros; Pela primeira vez, após o 25 de Abril, uma Câmara(Machico) realizou a primeira acção de campanha de vacinação antirrábica, identificação electrónica(chipagem) e registo dos animais, que em 2016 abrangeu 200 animais e este ano 150 e continua a decorrer, com um custo global de 10 mil euros; A Câmara instituiu o cheque veterinário e a doação de alimentos, destinado aos cidadãos carenciados, com animais à sua guarda e ainda apoiamos com o transporte dos animais para esterilização, para quem não tem essa possibilidade; Junto dos bombeiros municipais existe um sistema de empréstimo de caixas para cães e gatos, para fins médico-veterinários; Machico foi o primeiro município do país a realizar o I Dogtrail com o intuito de sensibilizar para a causa animal; São inúmeras as acções de promoção à adopção realizadas pelo Município de Machico, regularmente associadas a outros eventos, contando com a participação da GNR, veterinários da VetFunchal e da Dogtel; No âmbito das acções de recolha de alimentos para animais, foram conseguidas cerca de 1 tonelada, doados pelos cidadãos e pelas cadeias de supermercados; Foi dada formação aos bombeiros municipais para captura de animais errantes e neste contexto foram adquiridas pela Câmara material para esse efeito”

Ricardo Franco reconhece que “o abrigo actual é uma situação provisória, ainda assim muito melhor do que se verificava no tempo do PSD, em que não havia nada nesta área, sendo um dos objectivos do Município construir um CRO (Centro de Recolha Oficial) para canídeos, havendo já projecto e um espaço doado ao Município, por um munícipe da cidade de Machico, com a área de cerca de 2 mil metros quadrados, onde será construída essa infraestrutura”.