Freguesias à lupa: Santana decisiva na viragem para o CDS em 2013

A freguesia de Santana, sede de concelho, manteve-se fiel ao PSD, sempre com maiorias absolutas, desde 1976… até às últimas Autárquicas de 2013.

Com Teófilo Cunha para a Câmara e Ricardo Teixeira para a Junta, a freguesia ‘mãe’ do concelho de Santana deu o voto ao CDS e fez o Município pender para a governação centrista.

Das 6 freguesias do concelho de Santana, apenas duas (Santana e São Jorge) ‘viraram’ para o CDS. As demais mantiveram as apostas em presidentes de Junta social-democratas.

A viragem na freguesia de Santana foi decisiva uma vez que, nesta freguesia, a diferença de votos entre PSD e CDS, para a Assembleia de Freguesia, foi de 564 votos a mais para o CDS. Uma maioria absoluta confortável (53,8%).

Contudo, quem mais folgadamente governou os destinos da freguesia de Santana foi o presidente eleito em 1976, nas primeiras eleições livres democráticas: conseguiu, na altura, uma esmagadora maioria de 74,5% dos votos.

Antes de vencer a Junta em 2013, o melhor resultado que o CDS tinha alcançado foi em 1985 (34,6%)

O PS nunca conseguiu ser poder na freguesia de Santana. Em 1976 nem sequer se submeteu a sufrágio e mesmo coligado com o CDS em 2001 não foi além de 29,1% das preferências dos eleitores.

De resto, o melhor resultado alguma vez alcançado pelo PS na freguesia de Santana foi em 2005, com 34,5% das preferências dos eleitores.

CDU, BE (ex-UDP), MPT e PTP têm obtido resultados residuais na freguesia de Santana.