Análise política: O que nos diz a lista de Paulo Cafôfo à CMF?

Já são conhecidos os 11 nomes da lista da coligação ‘Confiança’ às Autárquicas de 1 de outubro.

“O que dizem os teus olhos?” foi uma pergunta celebrizada por Daniel Oliveira no programa televisivo de entrevistas, ‘Alta Definição’.

Na lista, há duas notas que importa reter à partida.

A primeira nota é que há a experiência do ‘núcleo duro’ nos 4 primeiros nomes (Paulo Cafôfo, Miguel Gouveia, Idalina Perestrelo e Madalena Nunes).

Sendo que, desses nomes, há um sinal claro que é a aposta em Miguel Gouveia, caso Paulo Cafôfo se aventure nas Legislativas Regionais de 2019. Ou seja, uma troca em termos de número ‘dois’ entre Miguel Gouveia e Idalina Perestrelo.

A lista de Paulo Cafôfo, denota duas coisas. Os nomes não estão (muito) ligados aos diretórios partidários dos partidos que compõem a coligação (terá havido abordagens mas Cafôfo teve carta branca); segundo, manda um ‘recado’ à atual liderança regional do PS (Carlos Pereira) no sentido de que, nas Regionais de 2019, do lado dos socialistas poderá haver novos protagonistas.

De resto, Idalina Perestrelo mantém-se com o pelouro do ambiente e Madalena Nunes com a área social.

A segundo nota vai para a renovação da lista. Desde logo o nome do arquiteto Bruno Martins para o pelouro do urbanismo. Desconhece-se se o n.º 5 da lista terá sido uma primeira ou segunda escolha mas é uma cara nova para um pelouro (ordenamento do território) sempre controverso para o qual Domingos Rodrigues entrou a meio do jogo.

No mais, a idoneidade da pessoa e do exercício do cargo  (a começar no atelier onde exerceu e a terminar na incursão na vida pública) será aferível ao longo do tempo.

O n.º 6 da lista é o jovem médico João Pedro Vieira. Um jovem ligado à JS que tem tido algum protagonismo nos últimos tempos, com opiniões publicadas sobre assuntos da atualidade. Ao ocupar um lugar (elegível), a indicação de João Pedro Vieira é também um sinal de que Cafôfo conta com a juventude e com a JS para as Regionais de 2019.

Outro sinal é a incursão de Paulo Cafôfo no mundo universitário. As escolhas de Thiery Proença (n.º 8) e Luísa Paolinelli (n.º 11), incutem à coligaçaõ ‘Confiança’ o ‘saber’ académico aliado à gestão autárquica. Estão, aparentemente, em lugares não elegíveis, mas o seu contributo pode ser importante ao longo de todo o mandato. Que o diga Domingos Rodrigues.

Sandra Marisa Machado, jurista (n.º 7), Rita Mendonça, enfermeira-chefe nos Marmeleiros (n.º 9) e António Trindade, ligado à Associação Arca da Ajuda (n.º 10) são outros nomes ligados à chamada sociedade civil, fora dos ditames político-partidários que, no entender da coligação, serão mais valias eleitorais.

Em todo o caso, estamos em crer que Paulo Cafôfo vale por todos. Ou melhor, é mais do que a soma das partes. Daí que a aposta em termos de marketing político é na figura do atual presidente. Não é à toa que nos cartazes é a sua figura que predomina e as siglas dos partidos que compõem a coligação foram eliminadas/secundarizadas.