Consulta popular sobre a Venezuela também na Madeira no próximo domingo

No próximo domingo, dia 16 de julho de 2017 todos os venezuelanos maiores de 18 anos, residentes em Portugal ou apenas de visita, poderão manifestar a sua vontade em qualquer um dos oito pontos de consulta que serão instalados a nível nacional sob a coordenação de Venexos e com o apoio de mais de 80 voluntários, sendo que para isso devem apresentar um documento de identidade venezuelano valido (Cédula de Identidade ou Passaporte, mesmo que fora da validade).

Segundo uma nota de imprensa ontem emitida, a Venexos convida a todos os venezuelanos residentes ou de visita a Portugal a exercerem o seu direito e a todos as organizações políticas e civis portuguesas, meios de comunicação e povo português no geral a acompanhar “neste dia histórico na luta pela conquista da liberdade e da democracia na Venezuela”.

O processo vai decorrer entre as 10h e as 19h, sendo que os pontos de consulta só vão encerrar quando não estiverem mais pessoas presentes para fazer parte desta consulta.

Na Madeira a coordenadora é Nataly Pestana e há três locais estabelecidos para consulta popular:

Local 1: Restaurante el Desafío Tropi Burguer, VE3 48. 9350-208 Ribeira Brava
Responsável: Patrícia de Aleixo (venexosmadeira@gmail.com)

Local 2: Village Hotel. Rua do Bom Jesus Nº22, 9100-152 Santa Cruz
Responsável: Lidia Araujo Ferreira (venexosmadeira@gmail.com)

Local 3: Anfiteatro do Jardim Municipal, Av. Arriaga, 9000-050 Funchal
Responsável: Ivetti de Abreu (venexosmadeira@gmail.com)

Em alguns pontos de consulta, participarão observadores externos como o Eurodeputado pelo Partido da Terra José Inácio Faria.

Recorde-se que no passado dia 05 de julho a Assembleia Nacional da Venezuela aprovou a realização de uma consulta popular, ferramenta contemplada na Constituição Nacional, para que os venezuelanos em todo o mundo decidam se querem continuar a ser presididos por Nicolás Maduro, se aprovam a realização de uma Assembleia Nacional Constituinte proposta pelo chefe de Estado e quais as funções que devem ser atribuídas às Forças Armadas Venezuelanas.

“Dado o seu compromisso com a defesa da liberdade e luta pelos direitos humanos, a Associação Civil de Venezuelanos em Lisboa – Venexos, associou-se a esta iniciativa tendo sido acreditada como a entidade organizadora deste processo de consulta em Portugal. Este processo vai realizar-se simultaneamente em mais de 108 países do mundo”, revela a associação .