EMIR no Porto Santo entre 9 de julho e 15 de setembro custa 120 mil euros

O Conselho do Governo reunido em plenário em 6 de julho de 2017, resolveu aprovar a missão EMIR no Porto Santo-2017, a ser projetada entre o dia 9 de julho e o dia 17 de setembro de 2017.

Os encargos decorrentes da missão estão estimados em 120.000 € (cento e vinte mil euros) e encontram-se previstos no orçamento do Serviço Regional de Proteção Civil, IP-RAM e contemplam para além da remuneração da equipa constituída por um médico e um enfermeiro em permanência, os encargos associados à sua operacionalidade, designadamente as deslocações do pessoal, equipamentos, estadias e refeições.

A intervenção da EMIR no Porto Santo só é possível desde que exista o apoio conjunto de várias instituições, nomeadamente a Direção Regional para a Administração Pública do Porto Santo, o Centro de Saúde do Porto Santo e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Porto Santo.

“A permanência de técnicos de saúde altamente diferenciados, durante um período de tempo alargado, vai permitir desenvolver ações de informação e sensibilização à população, em coordenação com as autoridades locais e a manutenção dos níveis de certificação aos bombeiros do corpo de bombeiros do Porto Santo”, revela a resolução hoje publicada.

Desde o ano de 2015, a EMIR, integrada no Serviço de Emergência Médica Regional (SEMER) do Serviço Regional de Proteção Civil, IP-RAM, é destacada para a ilha de Porto Santo, durante o período estival, período esse em que o afluxo de pessoas naquela ilha aumenta substancialmente, dando deste modo cumprimento ao definido no Programa de Governo.

A sua implementação foi efetuada com êxito assinalável, promovendo a emergência pré-hospitalar mais especializada e colaborando com os diversos agentes de proteção civil, conseguindo uma maior otimização dos recursos disponíveis na ilha de Porto Santo.

O Governo considera que “é importante replicar este ano o modelo com os ajustamentos propostos no relatório final que procedeu à sua avaliação em 2016, no sentido de continuar a proporcionar os melhores e mais adequados procedimentos no âmbito da emergência pré-hospitalar aos residentes e a todos quantos visitam a ilha de Porto Santo durante este período do ano”.