Rui Gonçalves salientou cooperação entre a Madeira e Cabo Verde e anunciou novos protocolos

De acordo com uma informação governamental, Rui Gonçalves, que está em Cabo Verde, afirmou hoje que o Governo Regional da Madeira assumiu a cooperação com os países com os quais tem afinidades históricas e linguísticas como uma das prioridades ao nível da sua acção externa. E Cabo Verde, destacou, é um ponto incontornável dessa cooperação.

O secretário regional das Finanças e da Administração Pública proferiu estas palavras nas Jornadas de Trabalho do Projecto HEXAGONE, que decorrem na cidade da Praia. Salientou, na oportunidade, que com a alavancagem concedida pelo Programa Operacional Madeira-Açores-Canárias, concretamente do supracitado projecto estratégico, têm vindo a ser estabelecidos vários contactos bilaterais entre entidades cabo-verdianas e madeirenses, promovendo a sua aproximação e conhecimento recíproco.

Para o governante, esta aproximação já produziu resultados. No mês passado foram assinados, na Cidade da Praia, dois protocolos de cooperação, um na área do ensino superior, na vertente da mobilidade dos alunos, e um outro na área da protecção civil.

Rui Gonçalves, anunciou que, entretanto, já se perspectivam outros protocolos, nomeadamente na área da educação, da saúde pública, do ordenamento do território, do cluster marítimo, bem como num sector essencial para as ambas as economias, a energia.

As jornadas nas quais está a participar são, em seu entender, um sinal bastante ilustrativo do número crescente de projectos existentes e do dinamismo das entidades públicas e privadas da Macaronésia.

Por outro lado, Rui Gonçalves recordou os projectos aprovados, em colaboração com Cabo Verde, no âmbito da 1ª convocatória do Programa Operacional Madeira-Açores-Canárias.

Estes projectos, defendeu, alavancados no apoio financeiro concedido pela União Europeia, traduzir-se-ão em resultados concretos para o desenvolvimento e aproximação dos dois arquipélagos.

“No caso da Região Autónoma da Madeira, temos uma participação conjunta em 33 projectos com entidades cabo-verdianas, os quais abarcam todas as áreas de elegibilidade do Programa”, realçou Rui Gonçalves, acrescentando que as Regiões Ultraperiféricas da Macaronésia são um pilar importante e estratégico para o efectivo desenvolvimento da mesma, numa lógica de “vizinhança alargada”, pelo que esta parceria deverá ser aproveitada e dinamizada.