Raquel Coelho acusa presidente da Junta de São Gonçalo de pressões contra o PTP

A deputada trabalhista Raquel Coelho surgiu hoje a repudiar o “carácter anti-democrático e o caciquismo do presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo” e referiu que vai apresentar queixa na Comissão Nacional de Eleições, por violação dos deveres de neutralidade e imparcialidade.

Raquel Coelho, também candidata do PTP à autarquia do Funchal nas próximas eleições autárquicas, repudiou o comportamento do presidente da Junta, acusando-o de “perseguir e intimidar os candidatos do Partido Trabalhista que estão recenseados na freguesia de São Gonçalo”.

Raquel Coelho explicou em conferência de imprensa que os candidatos recenseados na freguesia de São Gonçalo “estão a ser contactados pela Junta, com intimidações e chantagens numa tentativa de dissuadi-los da sua candidatura.” Já tivemos desistências frutos das pressões exercidas”, admitiu.

Numa iniciativa política em São Gonçalo, o PTP acusou o PS e a Coligação Confiança de usar a “pobreza das populações” para obter proveitos eleitorais. “Não podemos aceitar que uma Junta que foi eleita com a ajuda do PTP, venha fazer o mesmo que o PSD fez ao longo dos anos”, referiu Raquel Coelho.

A candidata do PTP também informou que já fez queixa à Comissão Nacional de Eleições de Bruno Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo, por “violação dos deveres de neutralidade e imparcialidade a que as entidades públicas estão sujeitas no período eleitoral”.