População de Santo António ganha novo espaço cultural e recreativo

Descentralizar o acesso à cultura, à atividade física, à música e assim combater o isolamento. Estes são os objetivos do novo polo cultural e recreativo criado recentemente no Lombo dos Aguiares, em Santo António. O projeto chama-se “Baú da cultura” e pretende revitalizar socialmente uma das zonas do Funchal marcadas pelo envelhecimento.

Lombo dos Aguiares é um dos sítios de Santo António, a freguesia mais populosa do Funchal. Embora fazendo parte da cidade, a localidade vem acusando um afastamento em relação às dinâmicas e serviços urbanos. É o reflexo do chamado envelhecimento populacional, a mesma razão que há poucos anos levou à desativação da escola básica de 1º ciclo da zona.

De forma a contrariar este panorama, a Junta de Freguesia de Santo António decidiu solicitar a cedência do edifício ao Governo Regional e transformar a antiga escola do Lombos dos Aguiares num polo cultural e recreativo, aproveitando o espaço para a dinamização de várias atividades performativas, desportivas e artísticas.

(Foto GR)

O projeto, recentemente inaugurado, está a ser implementado através de protocolos com quatro associações, que em troca da utilização dos espaços terão o compromisso de desenvolver eventos, formação e espetáculos destinados a envolver a localidade.

“Trata-se de uma forma de aproximar e favorecer a integração de um núcleo populacional envelhecido, que se isola em casa e que estava um pouco esquecido”, explica o presidente da Junta, que acredita no potencial da iniciativa numa nova dinâmica social e cultural.

“Vamos ter espetáculos às sextas feiras e sábados, aulas de zumba, karaté, aulas de música. Enfim, esperamos ir ao encontro dos interesses de várias faixas etárias”, preconizou Rui Santos em declarações ao FN.

(Foto GR)

Nesta primeira fase, o centro “Baú da cultura” terá como parceiros a Banda Filarmónica de Santo António, o Centro Cultural de Santo António, o grupo musical Aoakaso e o grupo folclórico O Brinquinho.

Para além dos impactos na promoção social e intergeracional, o presidente da Junta sublinha a importância do projeto na descentralização de eventos recreativos e atividades de ocupação de tempos livres, tendo em conta a dimensão e a dispersão populacional de Santo António.

Depois de algumas obras de remodelação asseguradas pela equipa de Rui Santos, o novo centro foi inaugurado no passado sábado com pompa e circunstância, contando com a presença do presidente do Governo Regional e da Secretária que tutela a área social.

(Foto GR)

Miguel Albuquerque aproveitou a ocasião para marcar distância em relação à política do executivo anterior. “Não basta fazer infraestruturas”, sublinhou. “É fundamental que as novas gerações tenham uma educação formal melhor do que aquelas que vivem em zonas de continuidade territorial, e que também tenham acesso aos bens fundamentais da cultura.”

Para o governante, o novo Centro Social e Cultural de Santo António é uma infraestrutura que “pelas suas características polivalentes vai concretizar um conjunto de direitos fundamentais para o futuro das novas gerações”.

A gestão do centro “Baú da cultura” é da responsabilidade da Junta de Freguesia de Santo António, entidade que assegura agora a manutenção da antiga escola do Lombo dos Aguiares, edifício constituído por três pisos, 14 salas, um salão comum e um polidesportivo.