Crónica Urbana: cais do Funchal descaracterizado

 

Rui Marote

O que tivemos de falar do Cais do Funchal já o fizemos em diversas crónicas. A APRAM efectuou obras para que o cais fosse acostável em segurança, com a colocação de defensas para que iates de uma certa dimensão, caso do ‘Bonita da Madeira’ pudessem receber passageiros em passeios turísticos, libertando o cais sul da pontinha.
Acontece que as obras, que ainda não vêem o seu término à vista, estão a causar uma certa indignação dos madeirenses que visitam aquela zona de entrada da cidade.

Queixam-se de um desastre visual que nos faz lembrar certos pontos do Alasca. A nossa cantaria destruída, com a fixação de barrotes de madeira de uma dimensão tal que parece pensada para que fosse possível acostar io ‘Queen Mary’… Recordo que nos tempos áureos das lanchas que transportavam turistas para os navios fundeados ao largo, não existia este aparato visual. Havia sim uma defensa de madeira de uma altura de 1 metro e meio; hoje temos toros de madeira na altura do cais (ver fotos). Optámos pelo um sistema que nos dias de hoje está ultrapassado, em estruturas de betão como pontões.
Nas zonas do Alasca, da Patagónia ou Vancouver, onde a madeira abunda por todos os cantos, é natural esse aproveitamento.
Mas hoje temos defensas de borracha como as que estão no cais sul da Pontinha, onde atracam os grandes paquetes, não sendo este o caso.
Neste canal, como poderemos chamar ao espaço entre o cais e a marina anexa ao cais 8, foram desmontados os fingers que estão “estacionados” nas instalações de São Lázaro.
Mas esta descaraterização do nosso ex -libris de entrada na cidade já não é de agora; as obras no calhau onde estava o iate dos Beatles também contribuiram para dar a primeira machadada no cais, com a construção de um pontão que não serve para nada, com a primeira escada de cantaria que ficou mutilada em mais de 50% só para lazer pedonal, encurtando a ida ao cais.


Serviu para vender numa extensão de 25 metros aquilo a que chamamos de “máquinas de lavar” de betão.
Qual a necessidade? O cais ficou penalizado em menos uma escada de desembarque. Cabecinhas pensadoras…. Hoje, cerca das 8h30, verificou-se mais aparato, com a colocação de novas argolas.