UMAR insurge-se contra o caso de mais uma mulher assassinada na Região

O secretariado da UMAR/Madeira veio declarar-se “profundamente chocado” com o caso de mais uma mulher assassinada na Madeira. Este ano já são três.

“Agora foi em Machico onde uma senhora de 66 anos foi esfaqueada por um sobrinho, seu vizinho. O mais grave é que esta senhora, já há muito tempo, que fazia queixa nas autoridades, dos maus tratos que o agressor e outro irmão, impingiam aos tios. Ainda ontem tinha sido feita mais uma queixa, e a verdade é que nada foi feito, por parte de quem de direito e chegamos a esta situação drástica”, critica a UMAR.

A instituição considera que “alguma coisa está a falhar em tudo isto. Não basta sinalizar os acontecimentos: é necessário levar as queixas a sério para que situações destas não possam voltar a acontecer”. Os vizinhos da vítima, conforme reporta, estão amedrontados e fecham as portas com medo do que possa acontecer. “Não é justo que as comunidades vivam com este tipo de medos. É necessário que a justiça actue e funcione”, defende.

A UMAR, embora tenha consciência que este tipo de crime não se enquadra no âmbito do crime público de violência doméstica, não pode ficar indiferente e manifesta publicamente e sua preocupação, e das suas associadas de Machico, lamentando que mais uma mulher perca a vida de forma tão trágica, refere a nota de imprensa.