Funchal “acorda” calmo depois de uma noite de chuva

ribeira B
O caudal da ribeiras registava alguma dimensão, mas natural depois de uma noite de chuva.

Foi uma noite de chuva  mas o Funchal “acordou” com alguma tranquilidade. Sempre que os níveis de pluviosidade são elevados, a população sente alguns calafrios, em função dos acontecimentos traumatizantes do 20 de fevereiro de 2010, que não obstante terem passado sete anos, ainda estão bem presentes na memória de todos.

Os olhos estão postos nas ribeiras sempre que chove intensamente. As obras entretanto levadas a efeito, iniciadas pelo anterior governo e prosseguidas pelo atual executivo, ainda não foram testadas ao ponto de saber, ao certo, os níveis de razão que assistem aos defensores dos trabalhos levados a cabo em nome da segurança e aos críticos que pontam anomalias suscetíveis de colocarem em causa essa mesma segurança.

ribeira C
As obras nas ribeiras poderão provocar algum contratempo se a chuva assumir proporções muito elevadas e provocar subida dos caudais, devido aos materiais que estão depositados resultantes dos trabalhos de intervenção.

Nos últimos dias, a chuva tem caído de forma intensa, um pouco por toda a ilha, mas há relatos que, por exemplo em Santa Cruz, os últimos dois dias foram de pânico, sobretudo na zona de Gaula, onde as estradas ficaram inundadas e temeu-se consequênciaS mais graves, o mesmo acontecendo, com menor dimensão, na zona do Caniço.

No Funchal, o dia “acordou” calmo e a primeira coisa que as pessoas fizeram foi deitar o olho às ribeiras, é instintivo. Foram muitos os que procederam dessa forma e viram o caudal normal depois da chuva que caíu, mas sem quaisquer problemas aparentes, como de resto documentam as imagens obtidas cerca das 9.30 horas.

ribeira A
As máquinas foram retiradas como medida de prevenção.

Nos locais onde decorrem as obras, as máquinas que ali operam foram retiradas para a estrada, garantindo a desobstrução das ribeiras e prevenindo quanto a uma eventual subida do caudal, o que felizmente não aconteceu em dimensões preocupantes.

Tal como o Funchal Notícias já deu conta hoje, numa outra informação, a Proteção Civil  “prevê a ocorrência de períodos de chuva e aguaceiros temporariamente fortes e persistentes, acompanhados de trovoada, até ao meuio dia de hoje (ao nível de aviso laranja), em particular na costa sul e nas regiões montanhosas das ilha da Madeira e Porto Santo”.