APF-Madeira ganha bolsa para desenvolver projeto sobre VIH/SIDA e em 2016 registaram-se 33 novos casos na Região

SIDA sede APF
Serão disponibilizados os serviços na delegação da Associação para o Planeamento da Família e serão realizadas deslocações a sete centros comunitários, entre eles Santo Amaro, Quinta Josefina, Quinta Falcão, Pico dos Barcelos e S. Gonçalo.

A delegação na Madeira da Associação para o Planeamento da Família foi distinguida com uma bolsa no âmbito da edição de 2016 do Programa Gilead GÉNESE, para o desenvolvimento do “100 Riscos”, um projeto que tem como objetivo intervir no VIH/SIDA na Região, aumentando o nível de saúde da população e prevenindo comportamentos de risco.

Segundo a APF, a infeção por VIH “persiste na Madeira” e “tem uma expressão significativa”, apontando números relativos a 2016, que registam 33 novos casos, para justificar a continuidade de uma atenção redobrada para manter a vigilância necessária em função das exigências que ainda existem neste domínio. Este projeto, com a duração de um ano, enquadra-se nos desafios para enfrentar essa realidade.

Testes em contexto hospitalar

Segundo um comunicado da entidade organizadora do programa que atribuíu a bolsa, “este projeto que envolve a Região tem o objetivo de colmatar a lacuna existente, uma vez que só são realizados testes e intervenções em contexto hospitalar, dando oportunidade a todos os indivíduos de os realizar gratuitamente e de forma confidencial, em contexto comunitário, nomeadamente nos gabinetes dos bairros sociais e nas instalações da APF-Madeira, obtendo também toda a informação para prevenção do VIH”.

Serviços em sete centros comunitários

Uma informação da APF-Madeira, instituição presidida por Lília Remesso, na sequência do contacto estabelecido pelo Funchal Notícias, dá conta que haverá envolvimento de vários organismos, tais como “o Serviço Regional de Saúde da RAM, nomeadamente a Consulta externa do serviço de Infecto-Contagiosas do Hospital dos Marmeleiros, constituindo-se um recurso para encaminhamento da população, além da Câmara Municipal do Funchal e a Sociohabitafunchal, E.M., com o objetivo de participar na sinalização de casos e na utilização e cedência de estruturas físicas dos centros comunitários do município do Funchal”.

Serão disponibilizados os serviços na delegação da Associação para o Planeamento da Família e serão realizadas deslocações a sete centros comunitários, entre eles Santo Amaro, Quinta Josefina, Quinta Falcão, Pico dos Barcelos e S. Gonçalo.

Prevenir comportamentos de risco

SIDA atendimento
Os contactos podem ser feitos na sede, à Rua da Vargem, 30 R/C Funchal, por telefone 291611851, por mail aptmadeira@sapo.pt, no site www.apt.pt ou na página do facebook.com/aptmadeira1967. Será garantida total confidencialidade.

Segundo a organização, sobre a qual recai a responsabilidade de colocar o projeto no terreno, “o principal objetivo define-se como ganhos em saúde, aumentando o nível de saúde da população e prevenindo comportamentos de risco. Pretende-se promover a saúde no âmbito da saúde sexual e reprodutiva, fornecendo informação e ferramentas úteis à comunidade a fim de prevenir comportamentos de risco, favorecendo uma decisão livre, consciente e fundamentada”. Relativamente aos objetivos secundários, os mesmos estão apontados para a prevenção e sensibilização para o VIH/Sida, junto da população, “em específico nos grupos mais vulneráveis”, além de “ampliar os esforços para travar a transmissão do VIH/Sida, melhorar a capacidade em proteger-se da infecção pelo VIH/Sida através da formação, facilitar o acesso à saúde sexual e reprodutiva, essencial para dar resposta ao VIH/Sida principalmente em locais de difícil acesso e onde a população é mais vulnerável, aumentar o acesso a recursos essenciais para prevenir o vírus, especialmente os preservativos masculinos e femininos, reduzir os comportamentos de risco e incentivar comportamentos sexuais responsáveis, realizar testes rápidos para detecção de VIH, diagnóstico, aconselhamento, acompanhamento e encaminhamento do indivíduo, família ou grupo”.

VIH com expressão significativa na Madeira

A APF-Madeira faz referência ao facto de a infecção pelo VIH continuar a atingir números preocupantes em Portugal, “assumindo expressão bastante significativa na Região”. Aponta dados da Direcção Geral da Saúde, publicados em 2017, onde é referido que “no ano de 2016, na Madeira, foram notificados 33 novos casos de infecção por VIH, como figura no relatório de Infecção por VIH, SIDA e Tuberculose em Números (DGS, 2017)”.

Dizem os responsáveis pela Associação que “de modo a garantir a consistência do decréscimo de novos casos notificados de infecção por VIH e de SIDA, verificado nos dois últimos anos, parece ser relevante a sensibilização para os meios de transmissão, a promoção do diagnóstico precoce e aconselhamento. A infeção por VIH persiste na RAM e documentam a evolução da epidemia na Região”.

Acesso a todos e confidencialidade assegurada

É neste contexto que o presente projecto pretende intervir na prevenção e sensibilização do VIH/SIDA, através da realização do teste VIH, aconselhamento pré- e pós teste, fornecimento de contraceptivos e realização de sessões de educação para a saúde e sensibi lização.

“As pessoas devem ter acesso ao aconselhamento e ao teste do VIH, independentemente do seu contexto social, etnia, género, orientação sexual, idade e residência. A confidencialidade é essencial, assim como, o consentimento informado que deve fazer sempre parte do teste. O projecto terá a duração de um ano e tem como objectivo intervir no VIH/SIDA, aumentando o nível de saúde da população e prevenindo comportamentos de risco. Pretende-se juntamente com diversos parceiros divulgar o projecto, utilizando diversas estratégias para chegar aos grupos mais vulneráveis.

Programa criado em 2013

O programa que atribui estas bolsas está inserido, como revela o documento enviado aos orgãos de comunicação social, “na política de responsabilidade social da Gilead Sciences”, pretendendo envolver a Comunidade e “tem contribuído para a geração de valor no domínio da investigação científica e da intervenção na área da Saúde, em alinhamento com os objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Anualmente são distinguidos os melhores projetos no âmbito da investigação e da Comunidade”.

O programa “Gilead GÉNESE foi criado em 2013 e é de referência no apoio à investigação científica e projetos da Comunidade, sendo que ao longo de quatro edições, o montante global de financiamento atribuídos aos projetos apoiados ascendeu a mais de um milhão de euros.

Candidataram-se cerca de 30 projetos nacionais submetidos por diferentes entidades científicas, académicas e da sociedade civil.

APF existe desde 1967

A Associação para o Planeamento da Família, cuja delegação na Madeira é, agora, responsável pela orientação do projeto vencedor, é uma IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social) criada em 1967 com a missão de “ajudar as pessoas a fazerem escolhas livres e conscientes no âmbito da vida sexual e reprodutiva, A APF é membro do Fórum da Sociedade Civil para o VIH /SIDA. Promove actividades de formação, acções de sensibilização, formação e aconselhamento e orientação na área da saúde sexual e reprodutiva para jovens e adultos. Desenvolve acções para grupos vulneráveis de prevenção das IST´s e VIH/SIDA. A APF tem actividades em todo o território nacional e faz diagnóstico precoce do VIH/SIDA” Por iniciativa do Presidente da República, a APF foi agraciada com a condecoração de Ordem de Mérito por serviços prestados ao País”.

Contactos

Quem pretender contactar a Associação, com garantia de total confidencialidade, pode fazê-lo através do contacto telefónico 291611651, por mail através de apfmadeira@sapo.pt ou no site www.apf.pt.