PTP denuncia “anarquia e falta de rigor” no Hospital Dr. Nélio Mendonça

O PTP veio hoje denunciar à população e às entidades públicas a “anarquia e falta de rigor existentes no Hospital Dr. Nélio Mendonça”, numa acção política realizada junto àquela infraestrutura de saúde.

O líder do PTP – Madeira questionou sobre as razões pelas quais não há controle de assiduidade, e porque razão os médicos que estão de prevenção “vão para casa dormir” e quando chega algum doente de urgência, não há médico para o tratar, “quando está o SRS/RAM a despender milhões de horas pagas onde nada é produzido ou feito”.

Numa conferência de imprensa, José Manuel Coelho acusou as listas de espera de “serem controladas a bel-prazer dos médicos sem qualquer transparência e controle por parte dos utentes, havendo doentes que passam à frente pelo factor cunha”. As altas problemáticas “muitas vezes também resumem-se ao factor cunha”, afirmou, considerando que “muitos dos idosos que estão hospitalizadas 365 dias por ano, são amigos ou familiares dos médicos do Hospital. No serviço de ortopedia, também reina o despesismo, pois são feitas encomendas de material desnecessário quando noutros sectores falta coisas básicas como por exemplo equipamento para medir a tensão arterial e estetoscópios”, denunciou o líder partidário e deputado.

Por outro lado, José Manuel Coelho criticou o Governo Regional por não colocar em funcionamento o edifício Micro-ondas quando a obra já está praticamente acabada e poderia poupar ao SESARAM milhares de euros todos os anos no tratamento do lixo hospitalar.

Também hoje, o líder trabalhista madeirense denunciou a “inércia e despesismo da administração do SESARAM por manter a grua da Tecnovia em funcionamento, quando as obras de ampliação e requalificação do Hospital Dr. Nélio Mendonça foram paradas”.