Orquestra Clássica da Madeira toca Brahms e Shostakovich no sábado

A Orquestra Clássica da Madeira, apresenta-se em palco no próximo sábado, dia 25 de Março, pelas 18 horas, no Teatro Municipal Baltazar Dias, com um concerto integrado no ciclo ‘Grandes Obras’ da sua programação.

O programa é constituído por duas obras absolutamente centrais do repertório sinfónico  orquestral e solístico, nomeadamente a última sinfonia de Brahms, (séc. XIX) e o segundo concerto para violoncelo de Shostakovich (séc. XX).

Pela segunda vez com a OCM, o solista, no violoncelo, é Levon Mouradian, músico premiado e aplaudido em vários palcos internacionais.

Em estreia na direcção da orquestra madeirense, apresenta-se Nurhan Arman que a crítica descreve como “uma personalidade musical impressionante e fascinante”.

Os compromissos de Nurhan Arman na temporada 2016-2017 levam-no a trabalhar com a Witold Lutoslawski Chamber Philharmonic, na Polónia; Kammerorchester Arpeggione, na Áustria; Orchester der Nordharzer, na Alemanha; a Orquestra Clássica da Madeira, no Funchal; I Musici Brucellensis, na Bélgica, entre outros.

O maestro Arman cativou públicos em três continentes, tendo actuado na França; Alemanha; Áustria; Itália; Bélgica; Espanha; Hungria; Portugal; Rússia; Ucrânia; Polónia; Roménia; República Checa; Eslovénia; Eslováquia; Lituânia, Montenegro; Turquia; Arménia; Coreia do Sul; México, Estados Unidos e Canadá. Actualmente é o Director Musical da Orquestra Sinfónica do Canadá – Toronto.

As críticas são unânimes nas suas avaliações. O Pravda (Rússia) descreveu o Maestro Arman com “uma personalidade musical impressionante e fascinante”, enquanto a Broadcast Review em Praga reportou “uma interpretação delicada, nobre e espiritual”.

Filho de pais arménios, nasceu em Istambul, tendo efectuado o seu primeiro recital de violino aos 13 anos.

Chegou aos Estados Unidos da América através da atribuição de uma bolsa de estudos da Disney Foundation, e realizou concertos de costa a costa, aparecendo nas principais cidades americanas, bem como em prestigiados festivais de música em Tanglewood, Spoleto, Nova Iorque e Florida. Após várias temporadas como concertino de várias orquestras nos Estados Unidos, deu início a uma carreira como director de orquestra que o levou a todo o mundo.

Em 1982 mudou-se para o Canadá para aceitar o cargo de Director Musical da North Bay Symphony e do Northern Music Festival. Em 1987 foi nomeado Director Musical da Orquestra Sinfónica de New Brunswick. Em Março de 1993 o maestro Arman foi nomeado Maestro Convidado Principal da Orquestra Sinfónica de Erevan na Arménia. Em 1998, Arman fundou a Sinfonia Toronto, actualmente considerada uma das melhores Orquestras de Câmara no Canadá.

Arman foi por diversas vezes jurado nos painéis de concursos, incluindo o Concurso Internacional de Fitelberg na Polónia; no Canada Council Conducting Competition e no Concurso Heinz Unger. Leccionou direção de orquestra em Nova Iorque no Festival de Brockport; no Festival da Florida; e no Canadá no seu próprio Festival de Música do Norte, bem como no Conservatório Real de Música.

Entre muitas orquestras conduzidas por Nurhan Arman estão: Moscow Philharmonic, Belgrade Philharmonic, Filarmonica Italiana, State Hermitage. Orchestra St. Petersburg Camerata, Chamber Orchestra Leopoldinum of Wroclaw Philharmonic, Witold Lutoslawsky Chamber Philharmonic, Kharkov Philharmonic, Vojvodina Symphony, Sergipe Philharmonic of Brazil, Nordbohmische Philharmonie Teplice, Deutsches Kammerorchester Frankfurt, Radomska Orkiestra Kameralna, Bellas Artes Chamber Orchestra of Mexico City, Florence Chamber Orchestra, l’Orchestra da Camera Milano Classica, Orchestra Sinfonica di Sanremo, Orchestra Sinfonica Siciliana, Orchestra Sinfonica Giacchino Rossini, Orchestra Sinfonico di Lecce, Orchestra Extremadura (Spain), Orchestra del Teatro Olimpico (Italy), Lisbon Metropolitan Orchestra, Hungarian Philharmonic, Lithuanian Philharmonic, Volgograd Symphony, l’Orchestre Regional d’Ile de France, Bohemian Festival Orchestra, Pilsen Radio Symphony, Silesian State Philharmonic, Denver Chamber Orchestra, Armenian Philharmonic, Bucharest Philharmonic, Brasov Philharmonic, Filarmonica Moldova, Filarmonica Sibiu, Slovak (Kosice) Philharmonic, Orquesta da Camaro Amazonas of Brazil, Deutsches Kammerorchester on tour at the Ljubljana Summer Music Festival, Karlsbad Symphony, Rivne Chamber Orchestra, Orchestra Sinfonica di Milano, Grand Orchestre de l’Harmonie (Belgium), Pusan Symphony, National Arts Centre Orchestra, Kitchener-Waterloo Symphony, Orchestra London, Saskatoon Symphony, entre outras.

Entre os principais solistas que Arman dirigiu estão: André Laplante, Maria Kliegel, Alexander Ghindin, Measha Bruegergosman, Anton Kuerti, Janina Fialkowska, Corey Cerovsek, Lara St. John, Yuli Turovsky, Andrea Bacchetti, Aline Kutan e muitos outros.

Solista convidado

Em 1985, Levon Mouradian ganhou o 2º. Prémio e a Medalha de Prata no Concurso Internacional de Violoncelo Pablo Casals. Em 1986 foi laureado no Concurso Internacional Tchaikovsky, em Moscovo, e em 1997 foi 1º. Prémio de Violoncelo no Concurso de Instrumentos de Arco Júlio Cardona, na Covilhã. Conquistou também o 2º. Prémio no Concurso da União Soviética, em 1982.

Levon Mouradian nasceu em Yerevan, na Arménia, no seio de uma família de músicos. Aos seis anos de idade ingressou numa escola especializada para crianças dotadas, em Yerevan. Continuou os seus estudos no Conservatório Tchaikovsky de Moscovo, na classe do professor M. Khomitser.

Mouradian estreou-se em público aos dez anos, tendo ganho o 1º. Prémio de Interpretação num concurso para jovens arménios, realizado na República da Arménia. Aos 14 anos tocou em público, como solista, as Variações Rocócó de Tchaikovsky, com a Orquestra Sinfónica da Arménia, dirigida pelo maestro D. Khandjian. Ainda como solista, apresentou-se com as mais importantes orquestras estaduais da antiga União Soviética, incluindo a Filarmónica de Moscovo, a Orquestra da Rádio e Televisão da URSS e a Sinfónica de Moscovo. Tocou ainda com a Filarmónica de Budapeste, a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Nacional do Porto, a Orquestra Sinfónica de Timisoara, a Filarmónica da Arménia e a Filarmónica da Geórgia, sob a direção de eminentes maestros, como ValeryGergiev, Veronika Dudarova, GennadiRozhdestvensky, DjansungKakhidze, Ruben Aharonian, VagPapian, Georgi Kostin, OmriHadari, Daniel Nazaré e Joana Carneiro, entre outros. Apresentou-se em concerto em vários países, incluindo Estados Unidos da América, Holanda, Alemanha, França, Japão, Coreia, Rússia, Israel, Espanha, Portugal, Brasil, Jugoslávia e Hungria.

Desde 1999, Levon Mouradian é titular da classe de violoncelo e música da câmara  no Departamento de Artes da Universidade de Évora. Orienta regularmente cursos de aperfeiçoamento de violoncelo e da música da câmara nos  Festivais «Valle De Arlanza» e «NuevaGeneracíonMusical» em Espanha, e no Festival Internacional de Viana do Castelo, juntamente com Ivan Monigetti. Deu formação em cursos de aperfeiçoamento, a convite da Universidade da Geórgia (EUA). Levon Mouradian é convidado pelo instituto da Musica da Califórnia, para liderar classe de violoncelo no curso de verão em Weikersheim, Alemanha em 2012.Foi membro do júri do Concurso Internacional de Instrumentos de Arco Júlio Cardona, em Abril de 2003.

Como solista, ou integrado em grupos de música de câmara, apresentou-se nos mais importantes festivais internacionais, nomeadamente os de Munique (“Nachtsücke”), Tallin (David Oistrakh Festival), Santander, Burgos,Weikersheim, Cangas de Onis, Madeira, Coimbra, Algarve, Sintra, Leiria, Tomar e Viana do Castelo.

Gravou várias obras de J. S. Bach, Beethoven, Dvorák, Debussy e Chostakovitch, entre outros compositores, para a RDP-Antena 2, editora Melody e Dutch Records Company, na qual faz parte do principal elenco de artistas.

Gravou vários CD’s, incluindo o editado pela Clave Records (Espanha) que contem o trio de A. Babadjanian e sete peças para trio de Komitas – Aslamazian, assim como dois CD’s com as obras do compositor holandês WimZwaag, entre as quais uma Sonata para Violoncelo e Piano que lhe foi dedicada. Também lhe foi dedicado um Concerto para Violoncelo do compositor Ivan Moody.

Levon Mouradian toca num violoncelo veneziano do séc. XVIII.