“Charrinho” aparece morto na cadeia

Um recluso com idade compreendida entre os 35 e os 40 anos, natural de Câmara de Lobos, conhecido pela alcunha “Charrinho” apareceu hoje sem vida no Estabelecimento Prisional do Funchal (EPF).

Em princípio não há suspeita de crime, tudo apontando para um ato voluntário.

O recluso estava detido por furtos. Era toxicodependente e estava a cumprir um plano de desintoxicação à base de substitutivos, tipo metadona.

A direcção do EPF, a Polícia Judiciária, o Ministério Público e o gabinete Médico Legal do Funchal seguem agora a situação para averiguar as circunstâncias em que ocorreu a morte.