Personalidades “deslocadas” de outros organismos do Governo trabalham em gabinetes na DRC

(Foto netmadeira)
(Foto netmadeira): Paula Cabaço já está a trabalhar em instalações na DRC, Gonçalo Nuno dos Santos vai para lá em Fevereiro. Ambos enquadrados na Direcção Regional de Inovação, Valorização e Empreendedorismo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*Com Rui Marote

Segundo informações a que o FN teve acesso, alguns quadros que entretanto foram afastados pelo Governo Regional de certas funções, no âmbito das recentes remodelações efectuadas pelo Executivo de Albuquerque, transitaram já para outras funções, nomeadamente na Direcção Regional da Inovação, Valorização e Empreendedorismo, presidida por Jorge Vale. Exemplo disso é Paula Cabaço, que era presidente do Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira (IVBAM), e que está já a trabalhar em gabinetes instalados no edifício da Direcção Regional de Cultura (DRC), à Rua dos Ferreiros. Aparentemente, existe espaço disponível naquelas instalações, e também para lá irá, dentro em breve, Gonçalo Nuno dos Santos, que foi deputado à Assembleia da República pela emigração e que, durante muito tempo, nos governos de Alberto João Jardim, teve a seu cargo a orientação de tudo o que se relacionava com as comunidades madeirenses espalhadas pelo mundo. A Direcção Regional de Turismo parece ter limitações de espaço.

As funções a desempenhar por estas personalidades relacionam-se, aparentemente, com uma  agência de investimento externo intitulada ‘Investe Madeira’, anunciada pelo secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus no Fórum Madeira Global que reuniu há tempos representantes das comunidades na Madeira.

O objectivo, então anunciado, era o de se criar uma agência vocacionada para dar respostas imediatas e concretas a potenciais investidores na Madeira.

“Alguém que pretenda fazer um investimento na Madeira com determinadas características, hoje já se pode dirigir ao Governo, através da Direcção Regional da Inovação, onde é acolhido e todas estas questões são respondidas no momento. Entendemos que tudo isto tinha de ter um corpo diferente e uma presença diferente e por isso evoluímos para a agência, que será o elemento que comunica tudo isto e recebe os interessados”, referiu então Eduardo Jesus.