Número de alunos e disciplinas de referência colocam Jaime Moniz a liderar o ranking das escolas madeirenses

jaime moniz foto

A Escola Secundária de Jaime Moniz é a mais bem classificada da Região nos exames nacionais do ensino secundário, atendendo aos critérios do maior número de alunos e das oito principais disciplinas de referência. Estes dados ressaltam no ranking nacional das escolas que foi hoje divulgado.

Esta instituição escolar aparece no lugar 231, em 510 estabelecimentos, sendo a primeira regional citada por órgãos de comunicação social como o Público, Observador, Rádio Renascença e JN/DN. Apenas o semanário “Expresso”, coloca a Jaime Moniz em segundo lugar, numa perspetiva global de todos os resultados.

Segundo a Universidade Católica, a Jaime Moniz tem uma média de 10.43, o Observador refere 10.54, o Público menciona 10.43 e o JN/DN regista 10.59.

Refira-se ainda que a Jaime Moniz é a Escola Secundária com maior número de alunos submetidos a exames nacionais do ensino secundário. Por exemplo, só na disciplina de português, são cerca de 600 alunos. Se atendermos às quatro grandes disciplinas de referência, quer na área das Letras (Português, História, Geografia e Economia), quer na área das Ciências (Matemática, Biologia/Geologia, Físico-Química e Geometria), a Jaime Moniz aparece sempre à frente das demais escolas da Madeira.

Refira-se também que, ao contrário do que se passa a nível nacional, as melhores escolas secundárias madeirenses são públicas, Jaime Moniz, Calheta, Machico e Francisco Franco, só para referir apenas algumas delas.

Por outro lado, no Ensino Básico, quem lidera é uma escola privada, a Apresentação de Maria, mas seguida de muito perto da, por exemplo, Escola Básica do Porto da Cruz.

Contactado pelo FN, o presidente do Conselho Executivo da Jaime Moniz salientou o facto de “as escolas públicas regionais estarem bem cotadas nos Ranking”. Por outro lado, Jorge Moreira de Sousa reiterou que “não se podem comparar escolas com meia dúzia de alunos com outras como a Jaime Moniz que submete a exame centenas de alunos”.

Por outro lado, o presidente da ESJM ressalvou que ainda não está completamente satisfeito com os resultados, que colocam a Jaime Moniz um pouco acima do meio da tabela do ranking nacionail. Pretende “mais e melhor”, revela que a Escola que dirige “tem capacidade para ter melhores resultados”em nome de uma “Escola de exigência e de excelência” que pretende promover.