Os muros da Europa e a Democracia Cristã

berlim01
Foto Rui Marote.

(Rui Marote) Ângela Merkel tem eleições marcadas para 2017 mas a vida não está fácil para a União Cristã Democrata (em alemão: Christlich-Demokratische Union Deutschlands –CDU) que a chanceler alemã lidera desde o ano 2000.

O Funchal Notícias recupera esta foto de Alberto João Jardim captada junto ao muro de Berlim, em junho de 2000, numa saudação onde manifestava a vitória da social democracia na Alemanha.

Mas hoje a vida não está fácil para os democratas cristãos, nem em Portugal nem na Alemanha, onde o país continua a ser procurado por milhares de refugiados de origem muçulmana.

A senhora Merkel já não tem muros de Berlim físicos espalhados pela Alemanha mas trava uma batalha para conter a evasão de refugiados. A Alemanha enfrenta sérios problemas.

Com a popularidade a descer e os extremismos a subir, Merkel movimenta-se num labirinto onde a cultura e a identidade são postos em causa pelos mais radicais.

Em Colónia há relatos de que centenas de mulheres foram abusadas sexualmente por refugiados muçulmanos. 72% dos refugiados são homens com idade militar.

A Sr. Merkel recusa fechar as fronteiras mas algo terá de ser feito para enfrentar xenofobismos internos e subir na popularidade.