PS-M reafirma que 50% de cofinanciamento do Hospital “é uma grande conquista para a Madeira”

carlos-pereira
Foto DR

O presidente do PS-Madeira, Carlos Pereira falou hoje sobre Orçamento de Estado para 2017.

Neste âmbito, o líder socialista abordou o co-financiamento de 50% da infraestrutura hospitalar, dizendo que é uma grande conquista para a Madeira e para os madeirenses e portosantenses, afirmando também que o financiamento desta dimensão supera todas as expectativas.

Logo de manhã, nas suas notas do dia já o havia reafirmado.

“Há quem ainda esteja com dúvidas sobre o que se passou no fim da semana passado e, por isso, julgo importante clarificar. O PS-M esteve longos dias num verdadeiro corrupio colocando no terreno a necessária diplomacia política no sentido de honrar os seus compromissos e fazer o que tem dito: estar sempre ao lado da Madeira. Enquanto o PSD-M na AR apostou tudo, e tudo fez, para impedir o sucesso do esforço do PS-M, que seria o sucesso dos madeirenses, eu dediquei muitos dias a fazer o que sempre tenho feito (com resultados observáveis): a apresentar soluções, a discuti-las e a arranjar alternativas, quando as propostas não satisfazem”, disse.

Segundo Carlos Pereira “esse caminho, em busca da afirmação clara do co-financiamento do hospital, foi traçado com vários intervenientes, e em muitos momentos , a saber : o Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, a Secretária Geral Adjunta, Ana Catarina Mendes, o Ministro da Saúde, o Ministro das Finanças, e, sobretudo, o Presidente do Grupo Parlamentar, Carlos César ( que foi sempre acompanhando as iniciativas e propostas e sugerindo afinamentos) e o Primeiro Ministro, António Costa”.

Para o líder regional do PS “foi neste sentido, que na quinta-feira à tarde, depois de várias soluções discutidas, e muitos dias de avanços e recuos, envolvendo muitos dos intervenientes referidos, foi decidida esta proposta de solução apresentada pelo PS-M, tendo tido o acordo e envolvimento político de Carlos Cesar e António Costa. No dia seguinte, Sexta Feira, de manhã, eu próprio escrevi a proposta e enviei às 11.40, para dar entrada junto de todas as propostas de alteração ao OE2017 do PS”

Feito o histórico do que se passou nos últimos dias,  Carlos Pereira sublinhou que, além dos intervenientes apresentados, mais nenhum fez parte da solução.

“O financiamento de 50% da infraestrutura hospitalar é uma grande conquista para a Madeira e para os madeirenses. Mas gostava de afirmar que é a primeira vez que se discute e se fala de uma percentagem de co-financiamento. Se o grupo de trabalho do Governo Regional para o hospital, ou o próprio governo, declarou intenções quantitativas, estão naturalmente no seu direito mas, da parte do governo do PS, do PS-M e de mim próprio nunca foi adiantado qualquer compromisso de percentagem”, clarificou.

“Mas, já agora, parece evidente que um co-financiamento desta dimensão supera todas as expectativas, sobretudo porque é feito num quadro de autonomia e para um sistema Regional de saúde totalmente regionalizado. É a expressão máxima da capacidade de influência do PS-M e da solidariedade do governo socialista. Por isso estou muito contente, orgulhoso do nosso trabalho e satisfeito com mais uma promessa cumprida, quando quase ninguém já acreditava ser possível consolidar no orçamento de 2017 uma solução concreta”, rematou.

Por outro lado referiu a “trapalhada” do Presidente do Governo Regional no que respeita ao adicional de IMI.