Igreja promove Semana dos Seminários para levar à descoberta das vocações

Missa da Ceia do Senhor e Lava Pés c/Bispo
Missa da Ceia do Senhor e Lava Pés c/Bispo

A Igreja continua em demanda de vocações sacerdotais, num tempo difícil, já que os jovens têm normalmente outros centros de interesse. Ainda assim, a Diocese do Funchal insiste em levar a juventude a seguir o exemplo de Jesus, numa aposta convicta de dedicação aos outros.

É neste contexto que decorre, de 6 a 13 deste mês, na Diocese do Funchal, como em quase todas a dioceses de Portugal, a chamada “Semana dos Seminários”. Segundo uma nota emitida pelo Gabinete de Comunicação da Diocese, “Pretende-se, deste modo, solicitar uma especial atenção das comunidades paroquiais – famílias, catequeses, movimentos e grupos apostólicos, casas religiosas e católicos em geral – para os nossos Seminários, como instituições tão importantes na vida da Igreja, que o Concílio Vaticano II lhes chamou “Coração da Diocese”.

A importância dos seminários no contexto atual é uma questão que urge refletir e debater. Na mensagem de D. António Carrilho, indicam-se algumas respostas:”Importantes, porquê? – O que está em causa é, realmente, a formação humana, intelectual, espiritual e pastoral dos futuros padres. O Seminário tem esta missão e tarefa, assumindo formas e organização diferentes, conforme as épocas, consoante a realidade própria de cada tempo e lugar, mas procurando responder, da melhor maneira, às suas necessidades e anseios. Hoje, o grande objetivo é preparar padres para responder aos desafios pastorais do nosso tempo”.

Atividade pastoral conjunta

Segundo a mesma mensagem, “colocam-se, assim, à Igreja, em cada Diocese, novas questões, novas exigências e novas tarefas, perante as múltiplas solicitações da vida atual dos jovens, a mentalidade gerada pela cultura emergente e o intercâmbio multicultural proporcionado, sobretudo, nos meios citadinos de maior mobilidade de pessoas. Hoje exige-se e espera-se muito dos sacerdotes, o que é bom mas torna mais difícil optar pelo sacerdócio e ser padre neste tempo. A Igreja, porém, não pode esquecer a missão, recebida de Jesus, de anunciar e propor os valores do Evangelho, em todos os tempos e lugares. E a Igreja são todos os cristãos, pelo que o reconhecimento da necessidade de sacerdotes e o empenho para que não faltem, neste tempo que é o nosso, tocam a responsabilidade de todos, numa atividade pastoral conjunta”.

Ainda na mensagem do Prelado da Diocese, é reiterado o papel do sacerdote nas paróquias e nas famílias: “Todas as paróquias gostam de ter os seus padres, sacerdotes que as assistam no serviço à fé e ajuda fraterna, na celebração da Eucaristia e demais sacramentos, nas festas de família e nas festas tradicionais; querem poder contar com a presença e apoio de padres disponíveis e santos. Mas para que isso aconteça é necessário que as comunidades cristãs rezem pelas vocações sacerdotais, amem a Igreja e desenvolvam um ambiente de fé e apreço pelo sacerdócio. No Seminário Diocesano temos, atualmente, treze seminaristas: oito em Lisboa, nos Seminários do Patriarcado, frequentando a Universidade Católica, e cinco no Funchal, no Ensino Secundário, perspetivando-se para breve a ordenação de um diácono.

Servir com amor gratuito

Dando graças a Deus por este grupo de jovens, que caminha em formação e discernimento vocacional, interrogamo-nos sobre o que poderíamos ainda fazer junto dos mais novos e suas famílias, quanto à descoberta da pessoa de Jesus e ao reconhecimento dos apelos de Deus, através do que vivemos e aprendemos da Palavra e do exemplo do Mestre. O que importa é cada um descobrir o seu caminho e segui-lo, a vida matrimonial ou o sacerdócio, a vida religiosa e missionária ou outra forma de especial consagração: descobrir a própria vocação, segui-la e ser feliz na fidelidade à opção feita.

Como é importante o testemunho de fé e oração das famílias e comunidades paroquiais, a palavra e apoio dos catequistas, o sentido de solidariedade e espírito de serviço fraterno, vivido e partilhado nos grupos juvenis (movimentos, acólitos e outros), o testemunho de alegria e felicidade dos próprios sacerdotes. Quando os jovens cristãos se interrogarem sobre o seu futuro, não deixem de pensar: Padre, porque não eu? E porque não uma vida de total entrega a Deus, à Igreja, a todos os outros meus irmãos e irmãs? Na alegria de servir com amor gratuito está, sem dúvida, um caminho de felicidade!

Nesta Semana dos Seminários, lembremos as palavras de Jesus: “Pedi ao Senhor da messe que mande operários para a Sua messe” (Lc 10,2). Rezemos por toda a Igreja diocesana; pelos nossos sacerdotes e seminaristas, pelas suas famílias e paróquias; pela atividade do Pré-Seminário, na ajuda e apoio aos mais novos na descoberta da própria vocação. Interessemo-nos e colaboremos com o nosso Seminário, porque o Seminário é importante na Igreja e nós somos Igreja!”