Investigadora do Madeira-ITI ganha prémio internacional

Mónica Cameirão
Foto facebook Mónica Cameirão.

Mónica Cameirão, professora e investigadora do Instituto de Tecnologias Interativas da Madeira (Madeira-ITI), e da Universidade da Madeira, acaba de ser distinguida com o prémio de investigação ISVR Early Career Investigator Award de 2016, pela International Society for Virtual Rehabilitation.

Este é um prémio que reconhece o trabalho de investigadores na área da reabilitação virtual como excecional.

O prémio será oficialmente entregue na 11th International Conference on Disability, Virtual Reality & Associated Technologies, em Los Angeles, Estados Unidos, em Setembro deste ano, onde a investigadora fará uma apresentação do seu trabalho.

A International Society for Virtual Rehabilitation (http://isvr.org/) é uma sociedade que organiza um fórum multidisciplinar para engenheiros, cientistas e profissionais de saúde, interessados na utilização das novas tecnologias em aplicações para a reabilitação física, psicológica, cognitiva e social.

O principal objetivo desta sociedade é representar e facilitar a interação entre comunidades interessadas nesta área de investigação, promovendo a discussão, estandardização, e criando oportunidades de colaboração.

A professora Mónica Cameirão é uma das principais investigadoras do NeuroRehabLab, um laboratório de reabilitação neurológica integrado no Instituto de Tecnologias Interativas da Madeira (Madeira-ITI), e tem vindo a trabalhar, há vários anos, no desenvolvimento e avaliação de ferramentas de reabilitação virtual.

A sua investigação desenvolve-se na interseção da tecnologia, neurociência e medicina, por forma a encontrar soluções, que melhorem a qualidade de vida de pessoas com necessidades especiais, com especial foco nos sobreviventes de acidente vascular cerebral (AVC).

O seu trabalho utiliza a realidade virtual, jogos e outras tecnologias não invasivas e de baixo custo, para ajudar estas pessoas na reabilitação motora e cognitiva.

A investigadora tem vindo ativamente a participar em vários projetos de investigação internacionais, e está atualmente a colaborar com o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira, E.P.E. (SESARAM, E.P.E.), na validação e implementação dessas tecnologias.