Obama defende Merkel na crise dos refugiados

Obama à chegada ao Palácio Herrenhausen
Obama à chegada ao Palácio Herrenhausen em Hannover

**Ontem, domingo, em Hannover, Alemanha, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, elogiou o papel da chanceler alemã, Angela Merkel, na crise dos refugiados e afirmou que a governante alemã está “do lado correto da história”.

Na reunião que manteve com Merkel, Obama  abordou questões como o acordo comercial entre o seu país e a UE, a situação da Síria e Líbia, o conflito da Ucrânia, as diferenças com a Rússia e a crise dos refugiados.

De acordo com o presidente americano, a chanceler soube manter medidas “difíceis” e mostrar uma “preocupação”, não só “humanitária”, mas também “prática” ao manter as fronteiras de seu país abertas. Obama salientou também que no mundo atual é “muito difícil” construir muros e que talvez a chanceler tenha adotado esta postura porque Merkel viveu uma época com “muro”, em referência ao de Berlim, tendo em mente que, até à sua queda, Merkel viveu na Alemanha oriental.

Por sua vez Merkel evitou comentar as palavras recentes de Donald Trump, candidato à  presidência dos EUA pelo partido republicano, que a chamou de “louca” pela sua política na crise dos refugiados.

O presidente dos Estados Unidos chegou ontem a Hannover na sua terceira visita oficial à Alemanha, no final de uma viagem que o levou à Arábia Saudita e ao Reino Unido.

Uma das finalidades desta visita era relançar o acordo comercial entre os EUA e a UE. Além disso, o presidente americano procura reafirmar aos seus parceiros europeus, a importância de uma Europa forte e unida para enfrentar os desafios do jihadismo internacional, dos conflitos da Síria e Ucrânia e da Rússia.