O tema da alimentação precisa ser vivenciado

/LC/

Natália Rodrigues Porto, professora do Instituto Macrobiótico de Portugal
Natália Rodrigues Porto, professora do Instituto Macrobiótico de Portugal

Vivemos uma época em que a alimentação é um tema de eleição.

Saber o que comer, aprender sobre a importância da sua escolha, e ter consciência da sua relação com a saúde, são medidas necessárias e imprescindíveis nesta fase da evolução da humanidade.

A qualidade sempre foi reconhecida como a prioridade, em tudo o que se relaciona com o nosso bem-estar, no entanto vivemos uma espiral na sua fase mais apertada, e somos confrontados com muitas opções. Toda esta azáfama que carateriza a nossa época leva-nos por vezes a optar pelo que aparentemente nos parece mais fácil, e que nem sempre é a escolha mais saudável.

Apesar de termos informação disponível sobre o tema, de variadas formas nos meios de comunicação, a exigência de um tempo que parece ter diminuído, não faculta a ponderação que este assunto necessita. E ainda que possamos constatar que a alimentação possui um lugar de pódio, algumas das informações ficam apenas guardadas no nosso intelecto, e não são aplicadas ao que sabemos e ao que fazemos. E isso faz a grande diferença no resultado prático da nossa vida. Não basta saber, há que experimentar, realizar e integrar.

O tema da alimentação pode ser estudado, mas não pode ser apenas intelectualizado, precisa ser vivenciado.

Todos somos diferentes e todas temos necessidades distintas, conhecermo-nos é talvez o nosso maior propósito como seres humanos.

Foto:LC
Foto:LC

“O saber não ocupa lugar” nem ocupa o espaço que cabe à ação. Saber e agir, são fases distintas. Por isso, de tudo o que já sabe tente aplicar alguma coisa às rotinas do seu dia.

 Procure vegetais frescos e sinta-se vivo. Plante esta ideia, não a guarde na biblioteca dos seus projetos não realizados.

 Cozinhe sempre que puder as suas refeições, assim saberá de verdade o que elas contêm. E sinta-se honesto com a vida. Não deixe que o seu corpo seja apenas alimentado pelas ideias lucrativas do comércio.

 Consuma cereais integrais e mastigue todos os alimentos o melhor que lhe for possível, há uma frase que diz: “Beba os sólidos e mastigue os líquidos”. A mastigação é o motor do cérebro, assim como o coração é o motor da circulação. Por isso mastigar ajuda-o a comer menos, contribui para uma digestão mais fácil e dá-lhe maior discernimento.

 Coma menor quantidade e sinta como a leveza lhe permite ter mais agilidade e vitalidade. Não fique cheio, as refeições devem preencher-nos e a quantidade nem sempre nos aumenta.

 Sinta-se saudável para que o seu corpo viva em saúde. Responsabilize-se pela sua participação Precisamos ser o que queremos ter.

 Lembre-se de utilizar o que sabe para conduzir a sua vida ao encontro dos seus sonhos.

 As refeições alimentam-nos, os sonhos nutrem a nossa vida.