Novo atentado abalou esta manhã Istambul causando mortos e feridos

88851101_88851098.jpg
foto Reuters

Um novo atentado suicida abalou esta manhã o centro da martirizada cidade de Istambul, uma metrópole fascinante do ponto de vista histórico e cultural mas que lamentavelmente, ao longo dos anos, tem sido palco de acontecimentos semelhantes, alguns deles bem recentes.

Cerca de duas dezenas de pessoas foram feridas, algumas delas com gravidade. Pelo menos quatro pessoas morreram. O atentado foi perpetrado numa área comercial da cidade, a rua Istiklal, que costuma estar apinhada de gente aos fins-de-semana.

No passado domingo, 37 pessoas foram mortas num atentado na capital, Ankara. O grupo curdo rebelde TAK reivindicou o ataque, afirmando que se tratava de retaliação por operações militares turcas contra os curdos. Já no mês passado, uma bomba que visava um comboio militar em Ankara matou 28 pessoas e feriu dúzias de outras. Já em Outubro de 2015, conforme recorda a BBC, mais de cem pessoas foram mortas num duplo atentado suicida numa manifestação curda pela paz, em Ankara.

O ataque de hoje em Istambul ocorreu por volta das onze horas locais, 9 horas na Madeira. Testemunhas deram conta de um ruído horrível e do caos que imediatamente se instalou, com dezenas de pessoas a correrem em todas as direcções, tentando fugir.

A cidade de Istambul continua em alerta máximo.

O presidente turco Erdogan acusou as forças curdas e do auto-proclamado Estado Islâmico de estarem a usar civis como alvo porque estão a perder a batalha com as forças de segurança turcas.

Uma trégua entre o governo turco e o ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que durou dois anos, lamentavelmente terminou no Verão passado. Desde então, mais de 340 membros das forças de segurança turcas foram mortos. O mesmo aconteceu a cerca de três centenas de combatentes curdos e a mais de duzentos civis.