Agricultura biológica vende bem mas há expetativa junto dos produtores com as mexidas oficiais

biolo1Todas as manhãs, no Largo da Restauração, os produtores ligados à agricultura biológica estão prontos a atender os madeirenses que queiram optar por uma alimentação saudável. Nesta manhã, pelas 08h00, os legumes frescos e sem inseticidas estavam à venda. No entanto, está latente uma preocupação: o fim de uma direção regional reservada à agricultura biológica está a gerar expetativas e inquietações, pois ninguém sabe o que o futuro reserva.

“Os profissionais que lá estavam já ganharam muita experiência nesta área e era importante que continuassem a manter a dinâmica iniciada, pois conhecem o terreno”, afirma ao FN um dos produtores, embora faça fé de que esta equipa governativa continuar´+a a apoiar estes agricultores.

A Sceretaria Regional da Agricultura e Pescas garante que vai continuar a apoiar em força o setor e que procedeu a uns ajustamentos internos, orgânicos, para imprimir outra dinâmica à agricultura biológica. Os agricultores esperam para ver.

No mercadinho biológico, a satisfação com os consumidores é grande. Cada vez mais há procura de produtos biológicos. Além disso, as entidades oficiais cooperam: a Câmara Municipal do Funchal cede o espaço e os funcionários da Secretaria Regional da Agricultura e Pescas montam as barracas onde os agricultores expõem e comercializam os seus produtos.

“Cada vez mais o consumidor madeirense toma consciência de que este tipo de agricultura, sem o problema dos químicos tradicionais, faz bem à saúde. Estamos aqui das 08h00 até por volta das 15h000 e vendemos praticamente tudo. É sinal de que os consumidores percebem que esta é a solução”, garante-nos um dos vendedores”, explicam os produtores.

Os consumidores, esses, garantem-nos que já têm na sua agenda as quartas-ferias para a compra dos legumes no Largo da Restauração. E esgota rápido, lembram. Por isso, é vir cedo para escolher bem e aviar a lista de compras.

biolo2