Sindicato da Hotelaria indignado com declarações da ACIF

hotelaria

O Sindicato dos Trabalhadores na Hotelaria, Turismo, Alimentação, Serviços e Similares da RAM emitiu hoje um comunicado de imprensa, com o sugestivo título de ‘Chorrilho de Mentiras! É preciso ter lata!’, no qual ataca uma notícia publicada no Diário de Notícias de hoje, dia 24 de Fevereiro, intitulada ‘ACIF garante ter vontade para negociar’. O Sindicato acusa a dita notícia de estar “recheada de mentiras”, e desmente a presidente da ACIF, considerando que “é mentira que a ACIF, ao longo dos três anos em que se arrasta o processo de revisão do CCT em vigor para a Indústria Hoteleira desta Região, em algum momento, se tenha mostrado disponível para negociar aumentos salariais para os trabalhadores”.

A ACIF, afirma o sindicato, “fez sempre depender qualquer negociação salarial da revisão do respectivo clausulado”, querendo sempre transformar o CCT num documento diferente, cujo conteúdo, se fosse aceite pelo sindicato, simplesmente acabaria por destruir direitos dos trabalhadores conquistados após o 25 de Abril de 1974.

“Como prova da má fé em que a ACIF actuou ao longo de todo este processo, a presidente da referida Associação, na aludida notícia, não faz qualquer referência à circunstância de, no passado dia 15 de Dezembro de 2015, este Sindicato ter entregue uma proposta para negociação de aumentos salariais para 2016, relativamente à qual continuamos sem obter qualquer resposta, tendo a ACIF se limitado apenas a remeter-nos uma nova proposta de revisão geral do clausulado do CCT para o sector da Hotelaria, cujo conteúdo é muito semelhante à que nos entregaram erm 31 de Julho de 2013, por conseguinte, com idênticos objectivos, destruir o actual contrato, retirando deste modo a generalidade dos direitos e conquistas dos trabalhadores ao longo dos últimos 40 anos, sob a alegação de que o referido contrato é obsoleto, sendo necessário substituí-lo por um outro, alegadamente “moderno”.

O Sindicato acusa ainda a ACIF de recusar quaisquer aumentos salariais; “Tudo tem feito para impedir a publicação no JORAM da decisão do Governo Regional em proceder a um aumento salarial de 2,5% para os trabalhadores da hotelaria, recorrendo designadamente aos tribunais”.

O Sindicato diz ainda que, ao contrário do que refere a presidente da ACIF, é mentira que a maior parte dos empresários tenham decidido já há dois anos actualizar os salários acima das tabelas dos CCT.

“Na verdade, e enquanto o CCT da Hotelaria abrange mais de 70 empresas, contam-se pelos dedos, de uma só mão, o número de empresas que, desde 2013, procederam a actualizações salariais, a maior parte das quais, de resto, a título de adiantamento. E as que o fizeram só assim procederam no ano transacto”.

Finalizando, o Sindicato diz-se disponível para rever o contrato da Hotelaria, mas quer que a ACIF tenha primeiro disponibilidade para proceder a aumentos salariais, inexistentes já há 4 anos.