Companhia Ryanair enche a Ribeira de turismo para ver o caminhar manso do Douro

porto ribeira Na zona ribeirinha do Porto, faça sol ou frio, o turismo é dono e senhor desta  área emblemática da Invicta. Após a habitual visita à histórica Livraria Lello, os forasteiros descem até à Ribeira – aquela que tem a placa, como preferem dizer os seus residentes –  para desfrutar da gastronomia mas também para perder o olhar nas águas mansas do rio Douro.

“Crise? Qual Crise? Ela está é na cabeça das pessoas!” Assim falou ao FN, de forma convicta, o dono do restaurante “O Cubo”. À nossa surpresa, apresenta mais detalhes: “A companhia aérea Ryanair enche isto tudo de turismo, dia após dia. A própria construção desdobra-se na restauração de prédios antigos para converter em apartamentos ou pequenas unidades hoteleiras capazes de acolher este turismo. Nunca tivemos tantos ingleses, alemães e até chineses. Não é por acaso que o Porto foi considerada a terceira grande cidade turística do mundo”, conta o senhor Rui com indisfarçável satisfação.

porto ribeira turismoAo longe, grupos de turistas, agasalhados até aos cabelos, rejubilam com a beleza e os quadros pitorescas da Ribeira, ali mesmo junto ao Douro e do seu caminhar sereno e secreto.Do outro lado, as não menos históricas Caves e, lá do cimo da Ponte D. Luís, um imóvel sacro a perder de vista, Pilar de seu nome.

Os preços escaldam, seja o café seja a típica francesinha, mas os viajantes não passam sempre na Ribeira e nem sempre têm a oportunidade de se deslumbrar com a encantadora ponte D. Luís.Por isso, lá vai 10 euros para cada francesinha, com batata frita, mais a cerveja e a bica, numa conta arredonda aos 15 euros por pessoa. Alguns restaurantes atraem a clientela com tochas acesas numa promessa de aquecer os forasteiros. Basta o sol dar um ar da sua graça e os grupos de turistas passam a “procissões de turismo”, segundo adianta um dos proprietários de uma esplanada.

porto ribeirasOs nossos vizinhos espanhóis são os que mais presença marcam na Ribeira, conta o senhor Rui. Estão perto, gostam da zona e sempre é um modo de fazer férias mais económicas. Mas os segmentos de turistas vão-se diversificando, a procura turística é cada vez mais heterogénea e as companhias aéreas low coast têm sido uma dádiva para a rentabilização comercial da cidade.

Os chineses redescobrem cada vez mais os encantos do Norte e passam a ser presença assídua na Ribeira. No comércio, a exemplo da Madeira, tomaram conta de extensas áreas tradicionais e alguns até “deitam abaixo uma parede ao lado do negócio e dormem lá mesmo”, relata-nos o senhor Rui.

douro-restaurantesA mudança política na Invicta, nas mãos do social-democrata Rui Moreira, continua no estado de graça: “É ainda maçarico nestas coisas, apesar de ser um empresário abastado, de berço”.

Num começo de fevereiro marcado pela ausência de sol e com a presença permanente do frio, o Porto traz sempre à superfície a sua hospitalidade. Basta perguntar a morada de algo e já o interlocutor se disponibiliza a levar-nos até lá. Num tempo marcado por um relógio acelerado, com toda a gente a caminhar virado para dentro, não deixa de ser extraordinária e até rara a empatia que a gente do norte continua a ter com os seus visitantes.

porto estátua