Camacha sem cortejo: Casa do Povo e Junta responsabilizam autarquia de Santa Cruz

camacha cortejo carnavalA Casa do Povo e a Junta de Freguesia da Camacha não vão realizar o tradicional cortejo de Carnaval. As duas instituições justificam com falta de verbas e de participantes e alinham nas críticas à autarquia de Santa Cruz, a quem acusam de insensibilidade.

Os comunicado veio assinado pelos presidentes da Casa do Povo e da Junta de Freguesia. Ricardo Vasconcelos e David Rodrigues decidiram subscrever o documento onde anunciam que este ano não haverá cortejo de Carnaval, no próximo domingo.

As razões são várias, a começar pela falta de verbas suficientes para cobrir os encargos inerentes ao evento, o que poderá estar na origem da dificuldade em garantir participantes.

“Para a realização do “Corso Carnavalesco” é necessário fazer face a vários custos, com a PSP e com a animação, para além dos prémios que são atribuídos a todos quantos se inscrevem e participam”, escrevem. “Tem sido nosso apanágio chamar o comércio local a participar, mas não temos contado com apoios financeiros, acabando a Casa do Povo por ter de suportar os referidos custos. A isto se junta a dificuldade em captar um grande número de participantes, nomeadamente de troupes, organizadas ou de iniciativa popular.”

A Casa do Povo da Camacha tem sido a entidade dinamizadora do evento há vários anos. A Junta de Freguesia só no ano passado se associou à iniciativa partilhando despesas. A verdade é que apesar da parceria, o dinheiro não chega para cobrir aquele que é já um cartaz da localidade. E é aí que Ricardo Vasconcelos e David Rodrigues apontam batarias ao mesmo alvo.
“Ainda que a parceria se mantenha, este ano não nos é possível assumir financeiramente qualquer investimento, desde logo pela inexistência de apoio da Câmara Municipal de Santa Cruz, que continua a não ser sensível à realidade das instituições culturais e desportivas da nossa Vila.”
Lamentando não ter congregado apoios suficientes para efetivar este evento de grande impacto no comércio local, a Casa do Povo e a Junta de Freguesia reafirmam o aposta na reedição do cortejo nos próximos anos.

Refira-se que a Junta de Freguesia desafiou as escolas da Camacha a participarem, mas, uma vez mais, a resposta foi negativa. Apenas a EB1PE do Rochão confirmou presença.