Praça do Mar transformada em caixote do lixo após a diversão noturna

lixo 2
FOTOS RUI MAROTE

(*Com Rui Marote) / O centro do Funchal amanheceu hoje com os restos da noite animada do dia anterior, numa cidade conspurcada, cuja “galinha dos ovos de ouro” é sabiamente o turismo. Logo cedo, a objetiva de Rui Marote registou para a “posteridade” o rescaldo da diversão noturna marcado pela falta de civismo de jovens e até adultos: beatas de cigarro pelas ruas, copos ainda com álcool deixados em qualquer muro público e a rua como casa de banho ambulante. Quem vier a seguir, no dia seguinte, que se delicie com as imagens.

O FN surpreende-se: os estabelecimentos de diversão noturna  estão dotados de casas de banho e têm à porta os chamados “gorilas da segurança”. No entanto, deixam que os clientes saiam para o exterior de copos na mão, tornando-se as ruas os caixotes do lixo deste respirar da brisa animada noturna.

Vamos ser ainda mais precisos. O caixote do lixo público de que falamos é obviamente a Praça do Mar. Nas redondezas, roulotes vendem cachorros quentes, bifanas, cerveja e não só …a esplanada é a Praça do Mar que recebe copos, papéis guardanapos  e as terriveis beatas às centenas, deixadas pelo “povo superior”.

Urinol nos túneis

O urinol acontece nos nos túneis de acesso `à Praça do Mar, autênticas ribeiras onde o odor se prolonga ao longo do dia aguardando que o sol seque estes lagos.

Nos varadins da Praça e nos recantos, os vómitos ficam à mercê das gaivotas e dos pombos.

lixo 4A limpeza não é diária e há locais em que as beatas de cigarro se acumulam aos montes.

Ao amanhecer, o cenário é de terceiro mundo e este cartaz dá as boas vindas aos passageiros dos navios de cruzeiro que chegam ao nosso porto.

lixo 2Não há criolina que chegue para apagar esta prática de terceiro mundo. Só uma solução: encerrar Praça a partir das 24 horas, colocando portões de ferro, com reabertura às 08h00.

Infelizmente, este tipo de juventude não merece  estes espaços e a Câmara Municipal do Funchal deveria criar coimas para estas infrações que demonstram, no mínimo, falta de educação.

O Funchal, aquela cidade limpa, deixou de ser cartaz que durante anos tem conquistado turistas e celebridade. A continuar assim, podemos regredir. Aqui fica o alerta do FN a ver se ainda vamos a tempo de inverter estas anomalias típicas de uma cidade de terceiro mundo.

lixo 3