Monumento da autonomia regressa à Praça mas sem a pira de bronze

 

autonomia 2
A conhecida pira já não está junto à estátua. Fotos Rui Marote

O monumento da autonomia  do escultor Ricardo Veloza, que esteve colocado em Santa Cruz junto  à cabeceira oeste da pista, foi transferido para o Funchal para Praça da Autonomia mas sem a bonita pira de bronze.

Com as obras  da nova ribeira e da referida praça, foi necessário desativar o monumento e aguardar a empreitada das obras que decorriam naquele espaço.

Finalizadas as obras, ,o monumento regressou 50 metros à frente e sem a pira. O Funchal Notícias soube que a referida pira de bronze desapareceu, não se sabendo o paradeiro.

É de referir que a chama só era acesa um dia por ano quando se comemora o Dia da Regiao, a 1 de julho. Era alimentada através de garrafas de gás, um dispendio para  a Região com esta fonte de energia para que a chama se mantivesse acesa 24 horas por dia, 365 dias ao ano.

Já não é de agora que, quando se procede a obras, emerge igualmente o problema do desaparecimento de monumentos. Foi o caso, no Jardim Municipal, da estátua que estava na lagoa  quando  Fernao de Ornelas traçou a Avenida Arriaga, vindo depois a ser substituída pela que está lá agora .Passadas dezenas de anos, a estátua desaparecida aparece nos jardins de uma quinta em New Bedford e nunca mais voltou à Madeira.