Amnistia Internacional organiza vigília no Funchal

amnistia internacional

O recente formado Núcleo da Amnistia Internacional no Funchal, organiza no próximo dia 30 de Outubro, pelas 20h00, junto à estátua de João Gonçalves Zarco, no Funchal, uma vigília pela libertação dos ativistas presos em Angola.
Esta vigília surge no seguimento da onda de solidariedade nacional para com os ativistas políticos e dos direitos humanos Henrique Luaty da Silva Beirão, Manuel Chivonde (Nito Alves), Nuno Álvaro Dala, Afonso Mahenda Matias (Mbanza Hanza), Nelson Dibango Mendes dos Santos, Itler Jessy Chivonde (Itler Samussuko), Os ativistas políticos e dos direitos humanos Henrique Luaty da Silva Beirão, Manuel Chivonde (Nito Alves), Nuno Álvaro Dala, Afonso Mahenda Matias (Mbanza Hanza), Nelson Dibango Mendes dos Santos, Itler Jessy Chivonde (Itler Samussuko),
Albano Evaristo Bingo Bingo, Sedrick Domingos de Carvalho, Fernando António Tomás (Nicolas o Radical), Arante Kivuvu Italiano Lopes, Benedito Jeremias, José Gomes Hata (Cheick Hata) e Inocêncio António de Brito foram presos por forças de segurança angolanas no dia 20 de junho, na capital, Luanda.
A Amnistia Internacional entende que as detenções e as acusações formuladas pelo Estado angolano contra os 15 ativistas constituem um exemplo chocante do quão longe as autoridades do país estão dispostas a ir para suprimir a dissidência pacífica. “Exigimos que se libertem imediata e incondicionalmente os prisioneiros de consciência e que assegure que, enquanto se aguarda a sua libertação incondicional, não sejam sujeitos a tortura ou outros maus tratos”, refere a Amnistia.