Hotel Sheraton com dois protagonistas: Mendes Garridi e João Carlos Abreu

       MEMÓRIAS-SHERATONA foto que o FN dá hoje à estampa remonta a finais da década de 70 e tem por palco o Hotel Sheraton que depois deu lugar ao atual Pestana Carlton Hotel. Duas figuras merecem-nos destaque: o preletor deste cocktail, Mendes Garridi, um espanhol que então assumiu a direção do Hotel Sheraton; a seu lado (à direita) uma figura que marcaria futuramente o destino da Madeira como Região Turística: nem mais nem menos do que João Carlos Abreu, na altura diretor de Relações Públicas do Hotel Sheraton e depois adjunto do diretor geral.

Era o início de uma incursão de João Carlos Abreu pelo fascinante mas delicado universo da hotelaria, numa ilha onde tudo estava por fazer e nem sequer se falava de agências de promoção ou sequer de sociedades de desenvolvimento. Como jovem que era, João Carlos Abreu acalentava os sonhos de construir algo de novo numa terra onde eram inúmeras as carências e os investimentos por realizar.

Pouco tempo depois é o salto para a política: João Carlos Abreu deixa a hotelaria e entra para o governo de Alberto João Jardim, como secretário regional do Turismo e depois da Cultura, missão que exerceu durante 30 anos consecutivos. Deixou o Governo Regional em 2007 mas continua a intervir no panorama cultural regional quer através do Universo de Memórias quer ainda através da CRIAMAR.

O antigo Sheraton continua a ser uma referência na história da hotelaria madeirense, apesar de mudar de mãos para o não menos emblemático Grupo Pestana, que é hoje o maior grupo hoteleiro do país.