CDU foi a Machico falar da Educação

cdu2
CDU em Machico. Foto DR

A Candidatura da CDU pelo Círculo Eleitoral da Região Autónoma da Madeira às Eleições para a Assembleia da República de 04 de Outubro levou a cabo hoje, sexta-feira, dia 25 de Setembro de 2015, uma jornada de contactos directos com as populações do concelho de Machico, abordando diversas temáticas que dizem respeito àquela zona da Região.
De entre as várias questões abordadas no decorrer desta vasta acção de contacto directo com as populações de Machico, foi dado especial destaque à situação da Educação, “fortemente penalizada pelas políticas de direita e por um gradual desinvestimento e desresponsabilização do Estado e da Região quanto às suas obrigações para com tão importante sector”.
A Educação, para a CDU, foi uma das áreas que, em Portugal, mais sofreu com os “desmandos” dos sucessivos governos, ora do PS, ora do PSD, “com ou sem a “bengalinha” do CDS”.

“De facto, tendo sido vítima de sucessivas “experiências de laboratório”, a Educação padece actualmente de graves deficiências e problemas, com óbvios impactos não apenas para alunos, professores e funcionários auxiliares e administrativos, mas igualmente num âmbito mais alargado, atingindo as populações e as localidades onde estão inseridos os estabelecimentos de ensino. E quanto mais afastadas estão as localidades dos grandes núcleos urbanos, mais grave se torna a situação, pois as escolas são importantes pólos dinamizadores da economia local e garantem a fixação populacional, tão necessária para impedir a desertificação; com o encerramento de escolas e a consequente deslocalização de alunos, há todo um conjunto de relações e interacções que acabam por se ressentir”, denuncia a CDU.

Para este partido, estudar torna-se cada vez mais caro; “de facto, aumentam os cortes financeiros das famílias para permitir às crianças e aos jovens o acesso à Educação, e assiste-se a uma cada vez maior elitização do Ensino, elitização essa que é fruto das políticas de direita que procuram liquidar importantes direitos e conquistas, que resultaram de anos e anos de luta em prol de uma Escola Pública, de qualidade e para todos.
A extinção de postos de trabalhos entre os docentes e a falta de colocação de professores demonstram bem que há um escandaloso subaproveitamento de um valioso recurso, com óbvias consequências para a qualidade do Ensino. A par disto, a redução de trabalhadores na Função Pública tem especiais reflexos negativos para os quadros de pessoal das escolas, onde vemos cada vez menos funcionários auxiliares e administrativos para garantir toda uma série de tarefas essenciais ao bom funcionamento dos estabelecimentos de ensino e de imprescindível apoio aos corpos docente e discente.
A CDU sempre defendeu e exigiu mais e melhores meios para a Educação, através da implementação de políticas potenciadoras de qualidade e que respeitem princípios constitucionais inalienáveis como a gratuitidade e a universalidade do acesso à Educação e ao Ensino, independentemente do seu grau, a par do pleno trabalho com direitos.
Investir na Educação e no Ensino é, acima de tudo, contribuir para elevar as capacidades do país e das suas populações, fazendo-as atingir patamares mais elevados de qualidade de vida e de formação, capazes de aumentar o seu potencial face aos desafios que lhes são colocados actualmente, numa sociedade marcada pelos constantes avanços tecnológicos e pela globalização.
Entre outras medidas, a CDU bate-se e continuará a bater-se pela efectivação de uma resposta na rede pública pré-escolar para todas as crianças a partir dos 3 anos de idade. Queremos igualmente a distribuição gratuita dos manuais escolares a todos os alunos a frequentar o ensino obrigatório, permitindo assim aliviar uma onerosa parte da despesa com a Educação que, todos os anos, aflige milhares e milhares de famílias, já a braços com a perda de rendimentos e outras situações que limitam as suas capacidades. Urge também reforçar a Acção Social Escolar directa, não só através do aumento do valor disponibilizado, mas também do número de alunos elegíveis. Os transportes escolares são também outra das áreas a merecer especial atenção, garantindo preços mais justos às crianças e aos jovens.
É essencial garantir um número correcto e adequado de professores e funcionários para o bom funcionamento das escolas, as quais devem ser dotadas de meios técnicos e instalações que permitam um Ensino de qualidade e que prepare as nossas crianças e jovens para o futuro.
Com mais CDU na Assembleia da República, será possível exigir mais responsabilidades ao Estado, dar mais força à luta e aumentar o poder reivindicativo das populações para que se cumpram direitos inalienáveis e constitucionalmente garantidos, como é o caso da Educação.
No dia 04 de Outubro, impõe-se mudar o rumo de desastre imposto ao País, e a solução para uma política alternativa, patriótica e de esquerda é votar na CDU. Mais votos e mais deputados da CDU traduzem-se numa verdadeira defesa do Povo e dos seus direitos, por mais e melhor qualidade de vida”, defendem os comunistas.