Carlos Pereira e José Manuel Rodrigues estão a ludibriar os madeirenses, acusa o BE

bloco

Paulino Ascenção acusou esta manhã os líderes das estruturas regionais do PS e do CDS/PP, Carlos Gouveia e José Manuel Rodrigues, de estarem a “ludibriar duplamente o eleitorado madeirense” ao darem a cara nos cartazes para as eleições de 4 outubro, quando é sabido que não vão assumir os mandatos.

O candidato do Bloco de Esquerda às legislativas nacionais, falava em Santana no final de uma ação de campanha, momento em que questionou a razão de os líderes dos principais, PSD, CDS e PS, não surgirem nos placares e cartazes de campanha afixados na Região.

Em relação a Passos Coelho e Paulo Portas, avançou com a explicação: “Porque têm vergonha” dos líderes dos nacionais e do resultado das políticas de governação por eles implementadas.

Relativamente a António Costa, o candidato do BE deixou em aberto a interrogação, salientando ser uma questão a analisar. “Por que é que Costa não aparece nos cartazes do PS? Fica a dúvida na ar”.

Paulino Ascenção aproveitou a deslocação ao concelho nortenho para acusar a coligação no governo, na pessoa do secretário de Estado das Finanças, de aumentar a carga burocrática sobre os pequenos produtores, dificultando a produção e comercialização dos seus produtos agro-pecuários. “Esta carga burocrática que recai sobre a pequena atividade não tem fundamento e serve só para favorecer os grandes interesses económicos”, sublinhou.

Para o candidato do Bloco, os apoios à agricultura têm de atender igualmente à manutenção do povoamento das zonas rurais e à preservação da paisagem agrícola, um elemento caraterístico e diferenciador em termos turísticos.