Rita Pestana discorda da mudança da data da festa de Santo Antão no Seixal

Rita Pestana, exdeputada do PS na Assembleia Legislativa da Madeira e dirigente socialista exerceu o seu direito de opinião como cidadã para lamentar a mudança de data das comemorações de Santo Antão, recentemente realizadas na freguesia do Seixal.

Figura emblemática também do Sindicato dos Professores da Madeira, Rita Pestana discordou publicamente das opções feitas pelo pároco local. O FN reproduz o que Rita Pestana divulgou na página do seu Facebook.

“Reverendíssimo Pároco da Freguesia do Seixal, Madeira, Senhor Padre Carlos: com todo o respeito e reverência que me merecem aqueles que representam a Igreja nas nossas paróquias, sinto-me na obrigação e no dever de me dirigir a V. Reverendíssima, em meu nome pessoal e em nome daqueles (as) Seixalenses que não têm ou que se abstêm de ter voz:

1. Embora não resida na freguesia do Seixal, esta é a freguesia onde nasci, cresci, onde fiz os meus primeiros sacramentos e onde me tornei adolescente e adulta.
2. Esta é a freguesia onde retorno cada vez que se impõe prestar homenagem àqueles (as) que partem do mundo dos vivos mas também em momentos de alegria como sejam as comemorações do Senhor Santo Antão (nosso padroeiro) e do Santíssimo Sacramento.
3. Em relação à homenagem aos mortos (funerais), até posso relevar a morosidade das cerimónias que aborrecem qualquer ser humano, reconhecendo que cada um (a) de nós tem a sua forma de intervir. O mesmo é válido para as celebrações dominicais ou outras. Não temos outro remédio que não seja perdoar a excessiva demora.
4. Já em relação ás celebrações festivas e às suas datas, V. Exª Reverendíssima não tem o direito de as alterar em função do que quer que seja, nem sequer em função da sua disponibilidade.
5. Vem esta prosa a propósito do Senhor Santo Antão que se comemora a 17 de Janeiro. Tradicionalmente, a festa em sua honra, realizava-se no próprio dia se coincidisse com Domingo, ou no domingo seguinte se tal não acontecesse.
6. Este ano, decidiu V. Exª Reverendíssima dar a volta à tradição. Tal como o perú que morre de véspera, decidiu comemorar o Santo antes do seu dia de nascimento.
7. As suas razões não interessam aos paroquianos do Seixal… Tem duas paróquias às quais tem que atender??? Nada que interesse aos seixalenses. Esse é um problema da Igreja… e tem que ser a Igreja a resolvê-lo. Temos a certeza que não faltariam padres para celebrar a Festa de Sto Antão no dia certo, nomeadamente um padre natural do Seixal (Pdre Paulo Jorge).
8. Esta “simples” circunstância não se fica por aqui. Ela vai interferir numa outra tradição seixalense. Ao “Panelo” (uma das mais antigas tradições do Seixal) que sempre se realizava no domingo seguinte à festa de Sto Antão, trocaram-lhe as voltas. E pronto… Foi aquilo que se viu!!!! Uns acharam que o fariam no domingo seguinte ao Sto Antão; outros acham que o farão no último domingo de Janeiro. E lá se foi a tradição!!!
9. Fica dito o que me vai na alma (na minha alma que, este ano, não foi, nem à festa do Sto Antão, nem ao panelo).”