“Confiança” critica o “caos” do trânsito no Funchal

Em vésperas de Natal, a coligação “Confiança” vem relembrar a promessa do executivo da CMF, de aumentar a fluidez do trânsito para a Festa, mas que lamentavelmente tarda em não ser cumprida.

Considerando o incremento espectável do trânsito no centro da cidade que a quadra natalícia sempre provoca, advindo das compras e actividades de Natal e do turismo, teria sido muito importante que no inicio de Dezembro os maiores constrangimentos ao trânsito do Funchal tivessem sido já ultrapassados. Contudo, termina hoje Novembro sem que o planeamento expectável fosse realizado, critica a “Confiança”.

“Apesar do compromisso assumido pelo PSD, o que se assiste é a manutenção dos caos no trânsito em artérias fundamentais no Funchal que se encontram sempre muito congestionadas, como o caso do recente condicionamento na Rua 31 de Janeiro, e na teimosice do actual executivo em manter o semáforo na Rua Alferes Veiga Pestana com todos constrangimentos que provoca na Cota 40, no Campo da Barca e na Pena” alertou o vereador Rúben Abreu.

Na reunião de Câmara do Funchal desta semana foi dado conhecimento ao executivo de uma transferência extraordinária, por parte do Governo da República ao Município, no montante de mais de 1 milhão de euros e no âmbito de uma subvenção adicional do Fundo Social Municipal.

Este Fundo sustenta os custos afectos a um conjunto vasto de competências transferidas da administração central para os municípios, competências estas que na RAM continuam por legislar por omissão da coligação PSD/CDS, acrescenta-se.

Em ano de cobrança recorde de receitas municipais, o Município arrecada agora mais uma receita extraordinária sem explicar como pretende derramar esta verba no solucionamento de problemas que assolam os munícipes.

Quando na semana passada se verificou a pretensão de fazer depósitos a prazo de mais de 8 milhões de euros, em vez de pagar aos fornecedores da Câmara, a Confiança espera que esta verba agora de mais de 1 milhão de euros seja canalizada para as empresas que desesperam pelos pagamentos da autarquia ou investir em solucionar os problemas de trânsito que se fazem sentir na cidade.

Nos assuntos trazidos pelos munícipes à reunião pública, o tema do urbanismo continua a dominar as preocupações da população, mantendo-se a incapacidade do município em resolver os problemas de forma célere.

“Nos assuntos da Ordem de Trabalhos, a Confiança absteve-se na proposta de adiar novamente e pela terceira vez a conclusão das obras na ETAR do Funchal, especialmente porque o actual executivo afirmou que não autorizaria mais adiamentos de prazos de obras, confirmando assim o voltar a trás na palavra dada pelo presidente, em menos de 3 meses e votaram favoravelmente aos votos de pesar de figuras de publicas do Funchal, a atribuição de apoio financeiro à Associação de Barmen da Madeira, à participação do Município numa associação de promoção de desenvolvimento e inovação tecnológica, aplicação de benefícios fiscais a um projecto de reabilitação de imóveis na Área de Reabilitação Urbana (ARU)”, refere um comunicado.