APRAM adquire novo equipamento para combater a poluição marítima

A APRAM, S.A., adquiriu um novo equipamento para recolha de resíduos sólidos flutuantes, o Enhancer E-B2100, o primeiro do género a ser utilizado em Portugal e que visa combater a poluição marítima e proteger as águas, limpando o lixo flutuante.

Alguns funcionários da empresa receberam formação esta semana, para operar com esta unidade que tem uma aplicação multidisciplinar e permite recolher os resíduos que chegam por exemplo, através das ribeiras que desaguam na bacia portuária, de várias formas: por varredura com o equipamento acoplado a uma embarcação na água como foi testado nesta ação de formação ou por recolha direta, mergulhando o cesto de modo isolado ou instalando-o num local fixo com o auxílio de barreiras RO-FENCE 600.

A presidente do Conselho de Administração, Paula Cabaço, considera que este foi “mais um passo no grande objetivo da empresa para os próximos anos: a sustentabilidade ambiental.”

A DESMI, empresa fornecedora, uma das mais antigas da Dinamarca, apresenta este equipamento como “capaz de conter grande parte dos detritos da superfície flutuante, permitindo que partículas menores e a maioria dos materiais naturais suspensos na coluna de água passem. É a escolha perfeita para a coleta e gestão de resíduos.”

A nova aquisição teve um custo total de 48 710,00 e uma comparticipação europeia de 30 152,74, através do Projeto Oceanlit, um projeto de cooperação territorial entre a Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde, do programa Interreg MAC 2014-2020, cofinanciado pela UE e cujo objetivo é reduzir o lixo marinho, favorecendo a conservação e a recuperação de áreas naturais costeiras e marinhas protegidas em arquipélagos oceânicos.