21.ª edição do Festival Raízes do Atlântico começa amanhã

Fotos: DR

Amanhã, dia 23 de junho, começa a 21.ª edição do Raízes do Atlântico, um evento organizado pela Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura.

O festival regressa à Praça do Povo, no Funchal, com um programa de seis concertos em três dias, apresentando um leque de vozes que nos levarão para o mundo Atlântico,  coroado por um Oceano, outrora tenebroso, mas que e por empenho dos navegadores lusos, acabou por se tornar num espaço de fraterna comunhão. Este propósito de união entre povos irmãos e  sons, que apesar de variados, perfilham uma identidade comum – a cultura Atlântica – que esteve na base da programação definida.

O Festival Raízes do Atlântico 2022 começa amanhã, pelas 21h30, com os D’Repente, um grupo madeirense criado em 2016 que tendo por base os cordofones madeirenses resolveu ir mais longe, proporcionando arranjos diversos e englobando géneros (Funk, Morna, Samba, Hip-hop, Blues, entre outros).

D’Repente, grupo madeirense criado em 2016.

Já pelas 22h30, sobem ao palco os Ayom – “Senhor da Música” na mitologia afro brasileira – uma banda multicultural, liderada pela vocalista brasileira Jabu Morales e que se formou entre Lisboa e Barcelona para criar música com a sonoridade do Atlântico tropical, negro e mestiço, onde, entre outros, faz vibrar ritmos como o carimbó, cumbia, baião, semba, coladeira, funaná, ijexá e guaguance, misturando assim, tradições centenárias com a linguagem rítmica das culturas lusófonas, levando-nos para uma viagem através da musicalidade profunda, provocativa e dançante, onde coexistem tradição e contaminação, masculino e feminino, poesia e energia, alegria e engajamento.

Ayom, banda multicultural, liderada pela vocalista brasileira Jabu Morales.

Os concertos são de acesso gratuito, sendo de salientar que, no local, serão disponibilizados seis centenas de lugares sentados.

O Secretário Regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, sublinha o regresso daquele que é o mais antigo festival de world music do país e convida todos a participarem naquela que pretende ser uma festa em torno da música. “Queremos que a edição de 2022 do ‘Raízes’ seja uma celebração da música, mas também da multiculturalidade e das ligações que o oceano Atlântico tem criado ao longo dos séculos”, diz o governante. “Entre amanhã e sábado, pelo palco do festival passarão nomes conhecidos da música regional, como os D’Repente, Pedro Marques e os Mano a Mano, mas também as sonoridades do hemisfério Sul com os Ayom, de Cabo Verde com Miroca Paris, e do Brasil com a famosa Alcione que virá à Madeira celebrar 50 anos de carreira. Serão três noites que se adivinham musicalmente memoráveis. Venham celebrar o Atlântico connosco”, convida Eduardo Jesus.

Mais informações podem ser obtidas no site oficial do evento, em https://raizesdoatlantico.madeira.gov.pt/.