PS quer sector primário “menos dependente de factores externos”

Os deputados do PS-M frisaram hoje a importância de tornar o sector primário regional mais sustentável e menos dependente de factores externos, de forma a aumentar a soberania alimentar. No âmbito do roteiro ‘Compromissos e Soluções’, os socialistas foram à freguesia do Campanário, para visitar uma exploração agrícola que serve de exemplo para este rumo que entendem que deve ser seguido.

Na ocasião, a deputada Sílvia Silva criticou a estratégia implementada pelo Governo Regional, que “fala muito em apoiar o sector primário, mas apenas com subsídios, fertilizantes e pesticidas”. Como afirmou a parlamentar socialista, esta solução só vai adiar os problemas, porque neste momento os apoios são mal empregues e muitos agricultores acabam por ter de devolver o dinheiro. “Os apoios acabam por ser todos empregues na aquisição de factores externos e não dignificam em nada a qualidade de vida dos produtores e das suas famílias”.

Embora considere que os apoios são importantes, a parlamentar do PS acha que os mesmos devem ser utilizados pelos agricultores da forma que quiserem e sublinhou que faz falta um plano estratégico para o sector primário, para mostrar como a agricultura pode ser mais sustentável e menos dependente do exterior.

Sílvia Silva aproveitou, aliás, para referir que a pandemia e agora a guerra na Ucrânia vieram demonstrar precisamente a necessidade de enveredar por este caminho de uma maior sustentabilidade agrícola, ou seja, menos dependente de factores externos, como os fertilizantes e os pesticidas, e mais fundamentada, com base na inovação, mas também no conhecimento tradicional, permitindo usar os recursos da própria exploração. Como explicou, tal pode ser feito, por exemplo, através da rotação de culturas e da pecuária.

Nesta mesma freguesia, o Grupo Parlamentar do PS visitou também uma oficina de automóveis, sector que está também muito dependente do exterior e da conjuntura internacional.