Albuquerque visita amanhã local da Central de Baterias da Madeira

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visita amanhã, dia 18 de Janeiro, pelas 10.30 horas, na Central da Vitória, no Funchal, os trabalhos de instalação da Central de Baterias da Madeira, que principiaram na segunda quinzena de Setembro.

A empreitada de “Instalação e Integração de Sistema de Armazenamento de Energia com Baterias no Sistema Elétrico da ilha da Madeira”, abreviadamente designada por Central de Baterias da Madeira (CBM), da responsabilidade da EEM-Empresa de Electricidade da Madeira está inserida no Complexo Industrial da Central Térmica da Vitória.

Esta Central enquadra-se na estratégia regional de melhoria da integração de eletricidade a partir de fontes de energia renovável, através da redução da potência térmica, garantindo a segurança de exploração do sistema eléctrico, a melhoria da eficiência do sistema electroprodutor e a redução das emissões de CO2.

Este sistema, com uma potência e capacidade de energia previstas a instalar de 22,5MVA/15,6MWh, respectivamente, visa complementar o sistema electroprodutor da ilha da Madeira, com recurso a baterias de tecnologia de iões de lítio e eletrónica de potência avançada, o que permitirá a optimização dos activos de geração próprios e a integração de mais energia “verde”, aumentando assim a quota de energias renováveis no mix energético de produção regional, sendo um importante contributo para a meta dos 50% de electricidade renovável, a alcançar nos próximos anos, refere o Governo Regional.

Este é um investimento global na ordem dos 10,6 milhões de euros, incidindo a maior parcela na construção da central de baterias propriamente dita, adjudicada no princípio deste ano ao agrupamento SIEMENS/FLUENCE, sendo co-financiado pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO-SEUR/EU), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão, num montante de cerca de 6,05 milhões de Euros, cujo eixo prioritário é apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono em todos os sectores e desenvolver a promoção da produção e distribuição de energia proveniente de fontes renováveis.

Adicionalmente, a integração desta Central de Baterias de engenharia avançada no sistema electroprodutor da Ilha da Madeira irá, também, proporcionar serviços de sistema, através da resposta imediata de potência, permitindo reduzir o número mínimo de geradores térmicos (pelo menos um grupo gerador), que asseguram os critérios mínimos de segurança de exploração da rede (reserva girante e resposta primária) e ainda reduzir os custos de manutenção do parque térmico.

Vai ainda permitir apoiar o controlo primário de frequência, bem como ajustes temporários de potência, possibilitando o adiamento do arranque ou da paragem de grupos térmicos, face à incerteza e volatilidade das fontes de energia renovável, como a eólica e a fotovoltaica, bem como apoiar o arranque do sistema de bombagem, mantendo e melhorando sempre a habitual qualidade de serviço prestado pela EEM.

A empreitada tem uma duração de 286 dias, estando prevista a sua conclusão no princípio do mês de Junho de 2022, refere ainda a Presidência do Governo.