Passageiros e tripulantes desembarcam no cais norte mas têm de ir ao SEF no cais sul

Rui Marote
Passa-se uma situação caricata no porto do Funchal. A nova gare do terminal 6, cais norte, foi inaugurada no passado dia 26 de Outubro. O governo de Miguel Albuquerque abriu os cordões à bolsa e concretizou o que há muito era uma lacuna: a falta de instalações sem o mínimo de condições para receber os passageiros dos navios de cruzeiro.
A nova gare deveria supostamente funcionar com todos os departamentos ali instalados porque está equipada com os requisitos necessários.
O governo deu as ferramentas para que tudo funcionasse sem problemas.
No dia da inauguração, Miguel Albuquerque visitou demoradamente todos os cantinhos da gare e falou com pessoal e chefias (ver fotos).
No entanto, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF)  continua a utilizar as instalações da gare no cais sul (Pontinha).
Resultado: os passageiros são transportados numa carrinha dos portos desde o terminal 6 (cais norte) até à gare sul (Pontinha) para obter o “carimbo” de entrada.
Fez-se marcha atrás, ou melhor, piorou: antes essa fiscalização era feita a bordo dos navios. Hoje os passageiros são obrigados a conhecer as novas instalações do SEF na gare da Pontinha, tornando-se incomodativo e difícil de justificar este mini-tour pelos Portos.
Hoje o FN verificou que tal situação se passa de facto. No caso de hoje, os transportados para verificação foram não passageiros, mas tripulantes de um navio.