Gouveia e Melo vem à Madeira dar conferência sobre o plano de vacinação

foto arquivo

Uma nota do parlamento regional informa que o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo é o convidado da Assembleia Legislativa da Madeira para explicar o processo nacional de vacinação contra a Covid-19 e o modelo português de resposta à pandemia.

O ex-coordenador da extinta ‘task-force’ foi o responsável de um plano que culminou com quase 85% da população portuguesa vacinada.

A conferência do vice-almirante realizar-se-á no Salão Nobre da ALRAM na próxima sexta-feira, dia 10 de Dezembro, pelas 15 horas, sendo subordinada à temática “A experiência portuguesa no combate à Covid-19”.

O militar deverá explicar a organização, a liderança e a comunicação que estiveram por detrás daquele que já foi apontado por muitos países como “um plano bem-sucedido”, que colocou Portugal entre os Estados com as mais altas taxas vacinação da população.

Gouveia e Melo, que ‘envergou’ a farda para simbolizar a “guerra à Covid’, nasceu em Moçambique em 1960 e aos 19 anos ingressou na Escola Naval.

Integrou a Esquadrilha de Submarinos de 1985 a 1992, tendo navegado nos submarinos Albacora, Barracuda e Delfim, exercendo diversas funções operacionais como oficial de guarnição. Foi comandante dos submarinos Delfim e Barracuda e da fragata NRP Vasco da Gama.

Entre 1998 e 2002 liderou o Serviço de Treino e Avaliação da Esquadrilha de Submarinos e o Estado-Maior da Autoridade Nacional para o Controlo de Operações de Submarinos (SUBOPAUTH), tendo assumido o comando daquela esquadrilha.

De Janeiro de 2017 a Janeiro de 2020 exerceu as funções de Comandante Naval, acumulando com as funções de Comandante da EUROMARFOR. Logo após é nomeado Adjunto para o Planeamento e Coordenação do Estado-Maior General das Forças Armadas, cargo que junta ao de Coordenador da ‘task-force’ para combate à Covid-19, missão essa concluída em Setembro deste ano.

A conferência “A experiência portuguesa no combate à Covid-19”, que vai ser proferida pelo Vice-Almirante Gouveia e Melo, é de entrada livre, mas, de acordo com a Resolução do Governo Regional n.º 1208/2021, os participantes devem ser portadores de teste Antigénio e do Certificado de Vacinação contra a COVID-19.