Estepilha: o mistério do contador da luz em “falso” posto móvel da HF

Rui Marote
A secretaria da Economia tutela os Horários do Funchal e herdou recentemente da vice-presidência os Portos da Região. Mas amigos, amigos… negócios à parte… O Estepilha descobriu que o “falso” posto móvel instalado no “calçadão” da Avenida Sá Carneiro não tem contador de energia eléctrica.
Os portos autorizaram a passagem de um cabo “pirata” vindo de um pavilhão debaixo do “calçadão” onde noutros tempos existia a ponte de ferro de São Lázaro. Já não é a primeira vez que estas “benesses” acontecem. Já foi com água e luz.
O Estepilha vai contar-vos uma história verdadeira com duas décadas. As “Vespas” funcionaram durante vários anos sem pagar energia fornecida pela APRAM, que saía do pavilhão das oficinas dos portos situado onde hoje está o parque de estacionamento. Certa noite, o electricista portuário, que já não está no mundo dos vivos, resolveu ir à discoteca com uns “copinhos” a mais e foi impedido à entrada pelo segurança. Insistiu e foi empurrado. Respondeu alto e bom som: vou apagar a luz!!! Riram-se.
Dirigiu-se ao pavilhão, uma vez que tinha acesso ao mesmo, desligou os disjuntores e foi para casa. Resumindo, as Vespas nessa noite ficou às escuras até ao novo dia.
Na altura, a administração queria aplicar um castigo, mas este não se concretizou porque o electricista sabia de mais. Conclusão: a partir dessa altura a discoteca requisitou à EEM o seu quadro eléctrico. O mesmo se passou com água de outra empresa instalada nos portos. Estepilha, se alguém estiver a passar energia para casa do vizinho e for apanhado, as coimas escaldam e o auto levantado pode chegar a tribunal.
A APRAM continua armada em “madrinha dos pobres”… Se bem que não se trate exactamente de “pobres”… Enfim…