“Studio Dois” venceu Prémio de Arquitectura com o projecto “Casas da Vargem”

Foto Fernando Guerra

O Studio Dois Arquitectura, dos arquitetos Carolina Sumares e Rik den Heijer, venceu o Prémio de Arquitectura da Madeira e Porto Santo 2021 com o projecto Casas da Vargem, na Ponta do Sol, informou recentemente a Ordem dos Arquitectos na Madeira. O prémio foi entregue no dia 4 do corrente mês, Dia Mundial da Arquitectura, na Casa Frederico de Freitas, pelo secretário regional do Turismo e Cultura.

Trata-se do projecto de duas casas de férias na Ponta do Sol. O terreno, situado numa zona alta, tem uma excelente vista para o mar e para o Paul da Serra, está rodeado por uma área agrícola de bananeiras e casas unifamiliares de dois e três pisos, refere a memória descritiva. A nascente, confrontando a estreita estrada de acesso, existiam ruínas de uma casa tradicional de um piso.

“As ruínas em pedra tornaram-se a referência para a nova construção, interessava-nos que a nova casa tivesse a mesma escala das antigas casas tradicionais de pedra. Criamos pequenos volumes, com a escala das pré-existências, que foram implantadas nos poios. Quando estamos no interior da casa percebemos que os espaços interiores acompanham o perfil natural do terreno, permitindo que todos os espaços tenham uma ligação direta com o exterior, com os pátios e jardins, criando diferentes níveis de privacidade e jogos de luz e sombras. As zonas ajardinadas dos pátios e terraços tornaram-se o elemento predominante, mesclando a construção com a envolvente”, referem os autores.

“A escolha dos materiais recaiu sobre materiais naturais como a madeira, utilizada nos pisos interiores, e materiais locais como a pedra utilizada à vista nas fachadas das construções pré-existentes, o calhau rolado nas coberturas e os pisos exteriores em calçada de basalto”, acrescentam.

A memória descritiva salienta que foi dada ainda especial atenção à ventilação dos espaços, com ventilação cruzada e zonas de sombreamento, de forma a manter o interior fresco sem necessidade de sistema de ar condicionado. O isolamento das paredes é feito pelo exterior e os vidros são duplos.

“As duas casas partilham uma piscina cuja privacidade é garantida por uma exuberante vegetação. Cada casa tem uma banheira exterior situada no jardim. Foi um projeto com um orçamento limitado, onde o esforço da equipa projectista, em sintonia com o promotor e empreiteiro foram fundamentais na procura de soluções economicamente viáveis”, refere-se.