Carlos Teles promete mais de milhão e meio para melhorar acessibilidades

A antiga estrada regional – agora municipal – e também a estrada da Bica, esta última que serve de ligação ao centro da freguesia e à Igreja do Arco da Calheta, são duas das obras a que o presidente e também candidato à Câmara Municipal da Calheta, Carlos Teles, se compromete a avançar de imediato e assim que tenha o Visto do Tribunal de Contas.

Estas obras, na sua perspectiva, são fundamentais para melhorar a mobilidade interna numa freguesia que tem vindo a crescer e a aumentar o seu tráfego automóvel. Intervenções que terão um custo global na ordem de 1 milhão e meio de euros, conforme explicou, hoje, o candidato, numa visita ao local.

“Nesta estrada que era regional e que, agora, passou a municipal, já temos pronto o projecto para abrir o procedimento tendo em vista a sua beneficiação, aguardando, apenas, o Visto do Tribunal de Contas, de modo a dotá-la de rede de água potável e também de saneamento básico”, afirmou Carlos Teles, acrescentando que esta obra decorre numa extensão de 1.360 metros e ascende a um investimento aproximado a 1 milhão e 200 mil euros, com execução prevista no prazo de 210 dias. “É uma estrada que está em más condições e que precisa, urgentemente de uma intervenção no seu pavimento”, reforçou.

Já em relação à estrada da Bica, o processo já está, também, devidamente instruído e aguarda Visto do Tribunal de Contas para avançar, tratando-se, neste caso, de uma obra a realizar numa extensão de 350 metros, no valor de 407 mil euros, com execução prevista de 150 dias.

“Esta intervenção corresponde a uma velha aspiração da população do Arco da Calheta que vem melhorar, substancialmente, a mobilidade e o tráfego automóvel nesta zona, tratando-se de uma obra que é curta na sua extensão, mas que é muito importante, na sua ligação ao centro da freguesia”, frisou Carlos Teles.

“Estas duas infraestruturas, indo para o terreno, vão, efectivamente, beneficiar não só aqueles que residem nesta zona do Arco da Calheta como, também, facilitar a mobilidade do tráfego automóvel que se faz sentir nesta freguesia (…)”, garantiu.