CMF diz-se apostada em demolir casas com amianto e criar novo complexo na Quinta Falcão

O presidente da CMF, Miguel Gouveia, e o vereador com o pelouro das Obras Públicas, Rúben Abreu, visitaram o Bairro da Quinta Falcão, onde a autarquia deverá proceder à demolição de antigas casas com amianto e construir, posteriormente, um novo complexo habitacional.

Miguel Gouveia, referiu, à margem da visita, que “na conclusão do Programa Amianto Zero que visa precisamente dar melhores condições de habitabilidade aos inquilinos da CMF, e após termos contruídos 30 novos fogos na Quinta Falcão, começámos agora com uma nova fase deste processo, que compreende a demolição das casas cujos moradores já foram realojados no novo complexo habitacional que inauguramos em Dezembro passado.”

O autarca acrescentou que “esta nova fase visa, acima de tudo, proteger a saúde pública, uma vez que o amianto é considerado como um elemento que pode provocar diversas patologias, nomeadamente cancerígenas. Este é um trabalho complexo de remoção do amianto não só das coberturas das casas, mas também dos próprios edifícios, cujo cariz pré-fabricado também é constituído por esta matéria.”

Após a demolição das casas, a Câmara Municipal do Funchal irá dar início à 3ª fase deste projecto, com o levamento topográfico do espaço e com a construção de novos 30 fogos habitacionais que deverão, afirma a CMF, colmatar o problema de habitação no concelho do Funchal. O edil lembrou que a empresa municipal Sociohabita Funchal “tem uma lista de prioridades para atribuição das habitações que vai ao encontro das necessidades socioeconómicas das nossas famílias. Quem recebe uma casa são efectivamente aqueles que mais necessitam”, afirma-se.

O presidente concluiu que “ao longo deste mandato já investimos mais de 5 milhões de euros para erradicar o amianto da habitação social do concelho, resolvendo um problema de saúde pública que persistiu durante décadas, e melhorando a vida de 300 pessoas”.