PSD não poupa Câmara de Machico por “ignorar os empresários do concelho”

O PSD veio acusar a Câmara de Machico de ignorar os empresários do concelho nas consultas prévias. Assumindo que a gestão autárquica deve pautar-se pela isenção e pela igualdade de oportunidades para as empresas sediadas no concelho, no sentido de dinamizar a economia local e o emprego, o candidato pela coligação “Juntos Somos Machico”, Norberto Ribeiro, lamenta a “discriminação” que tem vindo a ser promovida pelo Executivo Municipal, e que considera evidente nos vários procedimentos levados a cabo pela autarquia.

Procedimentos esses que, a poucos meses das eleições, intensificaram-se no respeitante às obras, “muitas delas sem planeamento e sem visão de futuro, em que o critério de prioridade do executivo para a adjudicação é o menor prazo de execução” referiu, a este propósito, o candidato, considerando grave que o Município, ao utilizar a figura de contratação pública por consulta prévia – na qual tem total autonomia para escolher os empresários – tenha excluído os empreiteiros do concelho.

“Existem muitas contratações públicas em que o Executivo Municipal não privilegiou o tecido empresarial do concelho, como foi exemplo a empreitada de construção do parque infantil de Água de Pena, por 200 mil euros, adjudicada a uma empresa fora do concelho, e também a contratação pública, por consulta prévia, para a execução de muro de estabilidade e execução de passeio público entre águas, Caniçal, no valor de 120 mil euros” exemplifica Norberto Ribeiro, afirmando que, a estes dois casos, existem muitos mais a juntar, o que, a seu ver, demonstra claramente a preocupação que o presidente do actual Executivo Municipal assume “tanto com a recuperação da economia local quanto com o sustento e a estabilidade das famílias de Machico”. Aliás, “é de estranhar que a consulta prévia nestes casos não tenha contemplado qualquer empresa de Machico nem da freguesia do Caniçal, que é forte no ramo da construção”, reforça.

Norberto Ribeiro que vai mais longe ao afirmar que as críticas que o atual Presidente do Executivo aponta às anteriores vereações do PSD “não passam de demagogia”, afirmando que, “ao menos o PSD soube investir, modernizar e infraestruturar o concelho” e que a dívida, fruto do plano de pagamentos estabelecido, tem condições para ser paga em menos de uma década, facto comprovado, aliás, pelo próprio Executivo. “Bem diferente é o empréstimo recentemente contraído pela autarquia, no valor de 4 milhões de euros, para a manutenção das estradas, empréstimo esse que, a pagar em 20 anos, deita por terra as críticas de Ricardo Franco quando diz que o PSD é que gastava para depois outros pagarem”, concluiu.