CMF anuncia conclusão das obras da ETAR do Funchal

A CMF concluiu os trabalhos de reabilitação da Estação de Tratamento de Águas Residuais – ETAR do Funchal, e da verificação e reparação do emissário submarino. Este, esclarece-se, é um projecto municipal que representou, nesta primeira fase, um investimento de cerca de 3,3 milhões de euros.

Miguel Gouveia inaugurou, esta semana, de forma simbólica, a renovada ETAR, situada no Almirante Reis, um momento que foi acompanhado pelo vereador com o pelouro das Águas e Saneamento Básico na edilidade, Rúben Abreu, e pelo presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Guido Gomes.

O edil funchalense referiu, na ocasião, que “esta é a primeira vez que se faz uma intervenção profunda nesta estação, construída em 1993, e que já estava obsoleta em algumas das suas capacidades. Esta foi uma intervenção de elevada complexidade, não só pelos trabalhos técnicos que estão em causa, mas também porque durante o período em que decorriam as obras a estação esteve sempre em funcionamento.”

“Os trabalhos compreenderam a substituição integral dos equipamentos que compõem a ETAR, nomeadamente válvulas, comportas, gradeamento de grossos e finos, tamisadores, bombas, ventiladores, tubagens, entre outros. Procedeu-se também à remodelação dos quadros de comando para permitir um controlo remoto, e a integração, no futuro, no  Centro Integrado de Gestão Municipal”, acrescentou.

A intervenção beneficiou também o emissário submarino, que recebe todas as águas residuais do concelho. “Reparámos e desobstruímos todo o emissário, que vai até 50 metros, e que agora permitirá garantir uma melhor capacidade de resposta às solicitações das redes municipais de saneamento básico.”

“Este Executivo camarário fez o devido planeamento desta empreitada, com estudos geológicos, com a candidatura ao financiamento do quadro comunitário do POSEUR, lançou um concurso público e passado este processo, é com muita satisfação que vemos esta obra de modernização chegar a bom porto. Esta intervenção traz, de forma inequívoca, grandes benefícios para o ambiente e para a população funchalense”, reforçou o edil funchalense.

A segunda fase deste lote comtempla a reversibilidade de duas estações elevatórias, especificamente a das Quebradas e da Praia Formosa, e a instalação de uma nova estação elevatória na Ribeira dos Socorridos, que neste momento está parada e a aguardar a descontaminação dos terrenos por parte da Empresa de Eletricidade da Madeira.